15 personagens femininas incríveis que dominam a cena nas séries

15 personagens femininas incríveis que dominam a cena nas séries

Foi-se o tempo em que as personagens femininas de séries eram meras coadjuvantes. Mulheres fortes vêm tomando conta das tramas, assumindo as rédeas de seu destino e provando que, sim, são capazes de muita coisa – tendo ou não super poderes. Confira!

Atenção: a lista a seguir contém spoilers.

1. Daenerys Targaryen, de Game of Thrones

A série da HBO tem tantas personagens femininas incríveis que foi difícil escolher só uma – Arya e Samsa Stark, Cersei Lannister, Lyanna Mormont, Brienne de Tarth também ganharam nossos corações ao longo dos episódios, tanto por suas personalidades fortes quanto evolução pessoal. Porém, a mãe dos dragões mostrou que está chegando ao seu ápice na trama nesta última temporada com toda sua determinação em ocupar o Trono de Ferro – mesmo depois de perder a família e o marido, encarar a fome e precisar se reerguer da miséria. Não é à toa que seu título é Filha da Tormenta, a Não Queimada, Mãe de Dragões, Rainha de Mereen… Bem, vocês entenderam.

2. Alicia Florrick, de The Good Wife

De esposa traída pelo marido político a advogada talentosa, Alicia mostra de forma extremamente humana como uma mulher que dedicou toda sua vida à família pode dar a volta por cima e voltar a acreditar em si mesma. Além dos desafios como advogada, a protagonista ainda lida com o caos em sua vida pessoal e com seus filhos adolescentes.

3. Taystee, de Orange is the New Black

Assim como Game of Thrones, a série que conta a vida das detentas da penitenciária de Litchfield é repleta de personagens femininas fortes, humanas e surpreendentemente reais. Para essa lista, trouxemos a Taystee graças à sua inteligência e (spoiler) capacidade de liderar as tratativas durante a rebelião, reconciliando as diversas facções para fazerem exigências cabíveis — tudo para melhorar o sistema prisional e conseguir justiça para a Poussey.

4. Nomi Marks, de Sense 8

A hacker foi a primeira a perceber os planos da organização secreta que caça os sensitivos e, por isso, também foi a primeira a sobreviver à lavagem cerebral. Além de suas capacidades intelectuais e de liderança, ela também merece o título de mulherão por ter assumido completamente sua homosexualidade e transexualidade, enfrentando até a própria mãe com muita coragem.

5. Claire Underwood, de House of Cards

A personagem rasgou a cartilha da esposa de político perfeita. Claire é tão ambiciosa, inteligente e sedenta por poder quanto seu marido, o maquiavélico Frank Underwood. Depois de ter sido (spoiler) embaixadora da ONU e primeira dama, ainda galgou a posição de presidente dos Estados Unidos, sendo a primeira mulher a ocupar o cargo – tudo isso rejeitando o papel de passividade reservado às mulheres na política.

6. Grace Hanson e Frankie Bergstein, de Grace and Frankie

Impossível separar essas duas simpáticas senhoras, responsáveis por mostrarem ao mundo que ainda há muito a ser vivido depois dos 60 anos de idade. O mundo das personagens virou de cabeça para baixo quando seus maridos pediram divórcio para ficarem um com o outro, assumindo sua homossexualidade. Desde então, Grace e Frankie formaram uma amizade um tanto excêntrica, que há três temporadas vêm quebrando tabus sobre a terceira idade, como sexo e relacionamentos.

7. Teresa Mendoza, de Rainha do Sul

Interpretada pela brasileira Alice Braga, a protagonista foi de perseguida pelo líder do cartel de Sinaloa, no México, até chefona do negócio. Depois que o cartel assassinou seu namorado, Teresa foge para os Estados Unidos e, para sobreviver, usa toda sua perspicácia para fazer alianças e chegar ao topo do mundo do tráfico.

8. Annalise Keating, de How to Get Away with Murder

Adorada por uns, detestada por outros, não se pode negar que a advogada e professora é extremamente inteligente, sagaz e bem sucedida. A anti-heroína brilhantemente interpretada por Viola Davis sabe o poder que tem – e tudo isso anda de mãos dadas com sua vulnerabilidade e vida pessoal conturbada. Ela é forte e humana.

9. Miranda Bailey, de Grey’s Anatomy

Desde a primeira temporada, a médica comandou seus internos com rédeas curtas – e lhes ensinou lições que eles levariam pelo resto de suas vidas. Dona de um grande coração, Bailey teve uma trajetória notável e intensa até (spoiler) chegar à tão sonhada posição de chefe de cirurgia. A liderança lhe cai como uma luva.

10. Olivia Pope, de Scandal

A dona da consultoria de gerenciamento de crises Pope & Associates é uma mulher que não tem medo de se impor. Sua personalidade forte é fundamental para resolver todos os escândalos que seus clientes se envolvem e, de quebra, lidar com sua complicada vida amorosa.

11. Peggy Olson, de Mad Men

Ela é a definição do que é ser uma mulher em um mundo dominado por homens. Extremamente competente e persistente, a personagem começou a série como secretária e, aos poucos, galgou a posição de redatora-chefe na companhia. A guinada em sua carreira é inspiradora, especialmente se considerarmos que a série se passa nos anos 60.

12. Carlota Hidalgo, de Las Chicas Del Cable

A série em si é um deleite para quem preza o empoderamento feminino: ela se passa entre os anos 20 e 30, quando começam a surgir os movimentos sufragistas e em prol do divórcio feminino na Espanha. Apesar de as quatro protagonistas merecerem um lugar nessa lista, destacamos Carlota por sua coragem e rebeldia. Assumir-se bissexual e sufragista seria algo impensável na época, especialmente vindo de uma mulher que largou uma vida confortável de herdeira para conquistar sua liberdade.

13. Alex Parrish, de Quantico

Uma mulher contra um país inteiro. Essa é Alex, a brilhante recruta do FBI acusada de ser responsável por um grande ataque terrorista, que precisa usar toda sua inteligência para provar sua inocência. Sim, ela desafiou o governo dos Estados Unidos sozinha e ainda levantou a questão do racismo no país, uma vez que ela é de origem indiana.

14. Sarah Manning, de Orphan Black

Mais uma vez, foi difícil elencar apenas Sarah em meios às suas “irmãs”. Depois de descobrir ser parte de um projeto que criou diversos clones, sua missão é proteger sua filha e desbancar um grupo de fanáticos religiosos que deseja destrui-la, assim como as demais clones. Para tanto, ela não mede esforços, se disfarçando, se infiltrando e até roubando. Destaque para a atuação extraordinária de Tatiana Maslany, que interpreta mais de dez clones e faz com que os telespectadores esqueçam que se trata da mesma atriz.

15. Peggy Carter, de Marvel’s Agent Carter

Capitão América quem? Em plenos anos 40, Peggy enfrentou toda a misoginia da época para se tornar uma espiã dedicada a acabar com a opressão nazista em plena Segunda Guerra Mundial. Não é por um acaso que, depois de anos, se tornou diretora da Superintendência Humana de Intervenção, Espionagem, Logística e Dissuasão, a S.H.I.E.L.D., agência conhecida por quem acompanha as sagas da Marvel.

Fotos: Divulgação/ABC e GIPHY

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close