5 características necessárias para investir em renda variável

5 características necessárias para investir em renda variável

Ter investimentos com ótimo retorno financeiro parece ser bom negócio para qualquer pessoa, não é verdade? A questão é o que o retorno elevado também tem um preço alto. Em tempos de crise financeira, você já deve ter ouvido de especialistas que o mais seguro é manter o patrimônio aplicado em renda fixa, que oferece menos riscos. Afinal, com a inflação e a taxa básica de juros lá nas alturas, existem opções com rentabilidade bem interessante e baixo risco, como é o caso do Tesouro Direto, das LCIs, LCAs e CDBs.

Em contrapartida, você também já ouviu muito por ai a respeito de renda variável, mas conhece bem o que é preciso para investir neste segmento? Há quem pense em se aventurar neste mercado, mas as coisas não são tão simples como podem parecer. Para quem ainda não está familiarizada com o mundo dos investimentos variáveis, resolvemos listar algumas coisas imprescindíveis para uma investidora com perfil agressivo.

Você também pode gostar:
Conheça um investimento com risco moderado e retorno elevado
Investir em ações ou fundo de ações?
Como funcionam os fundos de pensão?

Disposição para riscos

Renda variável pode até não ser um jogo de aposta dentro de um cassino, mas a sua disposição para o risco precisa ser a mesma. Você traça uma estratégia para investir, mas não dá para ter certeza de como o mercado irá se comportar. Você sabe quanto dinheiro está colocando em um determinado ativo, mas jamais poderá ter certeza absoluta que o desempenho será bom.

Sangue frio

Quem tem coração fraco é melhor ficar longe deste tipo de aplicação. O mercado de renda variável é feito de altos e baixos. Investir em um ativo e em seguida perceber que ele desvalorizou muito é algo bem possível de acontecer. Quem investe em renda variável precisa saber manter a calma para esperar o mercado se recuperar ou o momento certo para mudar a estratégia de investimento.

Possibilidade de investir a longo prazo

Justamente por ter muitos altos e baixos, o mercado de renda variável normalmente não é ideal para quem quer retorno no curto prazo. A intenção é manter o dinheiro investido no médio e longo prazo, ou seja, uma grana que você queira resgatar bem lá na frente (daqui a dez anos, por exemplo) para objetivos maiores ou mesmo para aumentar seu patrimônio.

Ter recursos de sobra

Quem investe em renda variável deve proteger-se para permanecer com o patrimônio fortalecido mesmo em caso de sofrer uma forte baixa. Ou seja, se os seus ativos de renda variável – estejam eles aplicados em um fundo ou em ações – sofrerem uma forte desvalorização e não houver possibilidade de recuperação, é preciso que você tenha outros recursos aplicados em investimentos menos arriscados para recuperar-se dessa baixa.

Experiência

Investir em renda variável requer também um bom nível de experiência no mercado, boa leitura dos contextos econômicos para encontrar as melhores oportunidades de investimento, bem como habilidade para entender as diversas ferramentas disponíveis para investir. A união do conhecimento técnico a respeito dos investimentos e um perfil de estrategista podem lhe garantir bons resultados.

Há quem não conheça o suficiente sobre renda variável para começar a investir, mas tenha interesse em saber mais para poder fazer isso mais tarde. Se este for o seu caso, considere o mundo dos investimentos como uma escada, na qual você precisa adquirir experiências em cada degrau que passa. Comece pelos mais simples e conservadores, em seguida diversifique com outros mais moderados e, por fim, dê o próximo passo para os investimentos mais arriscados.

 

Fonte dos gifs: Giphy

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close