5 passos para quitar suas dívidas

5 passos para quitar suas dívidas

Na vida somos movidos por sonhos – e não por dívidas. Hoje, seu desejo pode ser conquistar a casa perfeita, com quadros antigos nas paredes ou cadeiras vermelhas na cozinha. Talvez esteja idealizando uma viagem, para aprender inglês no exterior ou perder a noção do tempo em uma praia em Fortaleza. Não importa, entretanto, se a sua meta é trocar o filho de escola, comprar um carro ou se aposentar com tranquilidade: fato é que não dá para realizar sonhos com a conta no vermelho.

Pensando nisso, preparamos esse passo a passo para quem está lutando contra dívidas que não consegue pagar e quer se livrar desse problema. Assim, você poderá pensar no futuro – e não apenas em contas a pagar, nome sujo ou ligações do banco.

Passo 1: organize suas dívidas
O primeiro passo para sair do barco dos inadimplentes é conhecer o tamanho do problema. Para isso, você pode usar a planilha “Plano para Quitar Dívidas”, uma ferramenta especial que preparamos para ajudá-la a tomar o controle da situação.

Nela, você pode organizar todas as suas dívidas, listar as taxas de juros pagas em cada uma e definir quais serão as suas prioridades. Deve-se começar sempre pelas que têm juros maiores, pois são as que se tornam problemáticas mais rapidamente. Também é importante dar uma boa olhada no contrato e identificar quais outras taxas estão sendo cobradas.

Lembre-se dessa regra de ouro: contas com juros altos, como de cartão de crédito e cheque especial, são, sem dúvida, as piores dívidas que você pode fazer.

Leitura complementar

Plano para Quitar Dívidas

Plano para Quitar Dívidas

Ver mais

Passo 2: descubra o quanto pode pagar
Com as dívidas organizadas, você poderá pensar no principal: quanto precisará e conseguirá pagar por mês. Ou seja, quanto da sua renda poderá ser disponibilizada para reforçar a tarefa de quitar compromissos em atraso. O ideal é que você não comprometa mais de 30% do seu salário com as parcelas.

Aqui é importante analisar com calma o seu orçamento e ver onde há margem para corte. Com despesas menores, sobrará mais dinheiro para os pagamentos. Além disso, pense se é possível obter alguma renda extra, por meio de outra atividade profissional, por exemplo.

Chegar ao valor máximo que você conseguirá pagar por mês é fundamental para seguir ao passo 3.

5_passos_dívidas

Passo 3: renegocie
Com total consciência do tamanho do buraco e de quanto dinheiro você tem disponível para os pagamentos, chegou a hora de negociar com o credor. Pense que, assim como você tem interesse em se livrar da dívida, ele tem em recebê-la, por isso, não tenha medo de buscar um acordo.

Trocar uma dívida com juros altos por outra com taxas mais acessíveis pode ser o seu bote salva-vidas. Outra possibilidade é migrar o saldo devedor para um banco que lhe ofereça melhores taxas – a chamada portabilidade de crédito.

Em todos os casos é importante pesquisar, prestar atenção às condições oferecidas e montar um plano realista de pagamento. Órgãos como o Procon e a Defensoria Pública têm programas de auxílio gratuito a pessoas endividadas e podem orientá-la na negociação.

Certifique-se de que as taxas oferecidas são realmente mais interessantes e as novas parcelas cabem no bolso. Fazer isso com consciência é fundamental para não entrar em outro mau negócio.

Passo 4: mude hábitos definitivamente
Depois de renegociar a dívida, é preciso ter cuidado para não cair em outro enrosco. Lembre-se de que será ainda mais difícil fazer esse processo pela segunda vez. A única forma de solucionar o problema financeiro definitivamente é mudando a sua relação com o dinheiro.

Fazer dívidas de forma consciente pode permitir a realização de sonhos, mas é importante contrai-las com cuidado: antes de optar pelo crédito, pense se realmente precisa ou deseja o produto ou serviço a ser comprado. Avalie, principalmente, se essa despesa cabe no seu orçamento. Só assim você colocará as finanças nos trilhos de vez.

Passo 5: aprenda a poupar
Como diz a já famosa regra dos 50/30/20, 20% de todos os seus rendimentos devem ser dedicados a fazer uma reserva para o futuro. Criar o hábito de guardar dinheiro todo mês é a melhor maneira de realizar grandes sonhos com estabilidade financeira: sem ficar com dívidas que não pode pagar.

 

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close