5 perguntas para fazer antes de investir

5 perguntas para fazer antes de investir

Começar a investir é um desafio que todo mundo deve enfrentar, uma hora ou outra na vida. Duvida? Mas e aquele dinheiro que você deixou poupança? Pois ee, todo tipo de aplicação financeira é um investimento. Dinheiro parado não rende, pelo contrário, só contribui para o gasto impensado e a perda de controle. Se você faz parte do time de pessoas que querem mudar o destino do seu dinheiro, precisa tomar cuidados com algumas coisas. A primeira delas é entender qual é o seu perfil de investidora, saber com quem pode contar e fazer as perguntas certas.

Muita gente acha que as mulheres entendem menos de investimentos do que homens. Isso é mentira! Qualquer pessoa que tiver o mínimo de interesse pode começar a investir e fazer seu dinheiro render. Perca o medo e siga em frente! Selecionamos algumas perguntas para fazer antes de escolher uma aplicação. Assim você corre menos riscos de errar e se situa bem dentro do mercado. Confira:

Qual é o seu objetivo?
Antes de sair buscando, tenha certo quais são seus objetivos no mercado financeiro. Ter uma estabilidade financeira? Ou correr mais riscos para tentar ganhar mais? Em quanto tempo tempo pretende ganhar dinheiro? Quanto espera ganhar? Qual é o valor que já tem guardado e quanto quer investir mensalmente? Definindo esses detalhes, fica fácil encontrar um investimento com a sua cara. Enquanto decide tudo isso, leia e entenda sobre o mercado e suas oscilações. Lembre-se de se manter informada e saber como está a economia do Brasil também. Perca o medo das siglas e quebre a cabeça. Se precisar de uma mãozinha, leia nosso Dicionário.

Onde você vai investir?
Conforme for ficando íntima do assunto, vai conhecer algumas instituições financeiras. É uma boa procurar ajuda com esse pessoal. Na maioria das vezes, a equipe é conhecedora profunda do assunto e pode auxiliar bastante ao lidar com seus investimentos. Feche com a assessoria que sentir mais confiança. Se tiver alguma amiga que já faça investimentos, peça uma indicação.  Além disso, procure referências na internet. Esse é um momento delicado que precisa de paciência, afinal, eles que serão os responsáveis em gerir todo o seu dinheiro e futuro patrimônio.

Quais são os riscos envolvidos?
Estar ciente de tudo que pode acontecer com eu dinheiro traz segurança. Portanto, antes de investir, pesquise sobre a aplicação que você está namorando e como ela anda rendendo nos últimos tempos. Rentabilidade passada não é uma garantia para o futuro, mas pode te ajudar a escolher a melhor opção. Acompanhe a economia do país para evitar problemas. Por isso, pergunte ao seu gestor qual é o risco determinado daquele investimento. Você pode ficar sem rendimento naquele mês ou dá para perder dinheiro do montante que você aplicou? Você precisa entender o risco real que está correndo. Lembre-se que não existe investimento sem risco. Basta comparar com o que é esperado por você. Existem aplicações mais arriscadas, porém vantajosas – tudo depende da sua forma de lidar com a situação e estratégia. Cuidado com tudo!

Quanto custa?
Se você sabe quanto paga por uma bolsa nova ou na mensalidade da academia, precisa entender que todo investimento custa algo. Entenda também quanto será cobrado aquele serviço. Um dos tributos mais famosos é a taxa de administração, que deve ficar em torno de 1,5%. Se a administradora cobrar cerca de 3%, saia correndo. É furada! E os tributos não param por aí… Tem a corretagem, uma porcentagem cobrada pelos serviços da corretora, emolumentos, uma graninha que é dispensada pelo serviço da bolsa, custódiataxa cobrada pela manutenção do investimento, e a taxa de carregamento, que costuma aparecer nos fundos de previdência. Além dessas, tem os tributos do mercado nacional como o Imposto de Renda (verifique se será cobrado) e o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Sabendo – e calculando – todas as taxas fica fácil saber se o investimento vale a pena.

O cenário econômico é favorável para aquele investimento?
Feito o investimento, não esqueça dele. Funciona como um bebê que está crescendo e precisa de cuidados. Acompanhe mensalmente os seus rendimentos e avalie se compensa continuar naquela aplicação. Fora isso, compare com o cenário econômico. As variantes são muitas e podem atingir diretamente seus investimentos. Veja sempre como andam a inflação e a taxa de juros básica da economia. Esteja sempre atenta e corra menos riscos que conseguir.

Se ainda tiver dúvidas do que perguntar, fale com a gente!

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close