6 ciladas comuns na contratação de empréstimo consignado

6 ciladas comuns na contratação de empréstimo consignado

Você já deve ter passado pela situação de ser abordada por alguém na rua te oferecendo crédito rápido, fácil e sem burocracia. Da mesma forma que deve conhecer ou ter ouvido falar de alguém conhecido que foi vítima de um golpe na hora de contratar um empréstimo consignado.

Por ter juros mais baixos do que a maioria dos empréstimos no mercado e pouca burocracia para a contratação – existem financeiras que liberam crédito até mesmo para os inadimplentes – o consignado se popularizou bastante e também tornou-se instrumento de armadilhas, visando principalmente idosos. De acordo com a Proteste, o prazo para quitação de uma dívida é de 72 meses, mas não existe limite de idade para contratação. O dinheiro é liberado rapidamente para a pessoa e descontado da folha de pagamento, pensão ou aposentadoria. Para não cair em ciladas, vale ficar atenta a algumas recomendações.

Você também pode gostar:
Brasileiro compromete 7 vezes sua renda mensal com dívidas atrasadas
Quais dívidas eu devo pagar primeiro?
Os riscos das dívidas no cartão de crédito e cheque especial

O que fazer em caso de arrependimento

É muito comum a situação de uma pessoa idosa ser induzida a erro, contratar o consignado sem perceber e se arrepender em seguida. Isso pode ser mais frequente quando a pessoa é abordada por um agente terceirizado (contratados pelos bancos e financeiras para fazer empréstimos) nas ruas. De acordo com  a Proteste, a pessoa que sentir-se lesada por este tipo de abordagem tem até sete dias para cancelar o empréstimo, alegando direito de arrependimento. Em caso de contratação indevida, com indução a erro ou contra a vontade da pessoa, existem dois caminhos.

Se não houve assinatura de contrato e a pessoa percebeu o empréstimo quando viu o dinheiro em conta, basta alegar a inexistência de contrato. Outra possibilidade é alegar vício de informação ou má intenção do agente, tendo em vista que a pessoa a induziu a um erro. A proteste oferece um serviço de orientação jurídica, as informações estão neste link.

Não passe seus dados a terceiros

Um agente de rua pode ser muito insistente para conseguir seus documentos e dados bancários. Não ceda e não passe informações sobre familiares, eles também podem tentar usar este argumento para lhe convencer a tomar um empréstimo em favor de alguém. Com suas informações em mãos, eles podem realizar um empréstimo em seu nome sem que você tenha todas as informações que necessita.

idosa-emprestimo-consignado

Continue a ler a matéria na próxima página!

Não assine nada em branco

Algumas instituições chegam a pedir que a pessoa assine papéis em branco, prometendo a liberação do dinheiro com mais rapidez. Não caia nessa armadilha, com sua assinatura, elas podem contratar empréstimos maiores ou aplicar taxas mais altas.

Desconfie de contatos por email e telefone

Não acredite em telefonemas de pessoas alegando serem funcionárias da Previdência Social, muito menos em notificações por email. O INSS não faz contato desta forma e isso é uma armadilha de golpistas para conseguirem seus dados e realizarem um empréstimo em seu nome.

Continue a ler a matéria na próxima página!

Cuidado com as instituições

Se você optar por fazer um empréstimo consignado, tenha cautela na escolha da instituição. Como o acesso ao crédito é muito fácil, várias delas não estão regularizadas para fazer este tipo de serviço. Certifique-se que a instituição está cadastrada no Banco Central e tem convênio com o INSS.

Fique atenta e confira se as simulações feitas na hora de te oferecer o empréstimo estão condizentes com as taxas praticadas em contrato, bem como parcelas, valor total e prazo para pagamento. Muitos agentes costumam fazer a simulação com uma taxa menor do que a que realmente é aplicada em contrato. Por mais que inicialmente essa diferença possa parecer pequena, o impacto no valor final é muito alto.

Quitação

Se você conseguir o valor total do empréstimo e desejar quitar a dívida de uma só vez, este é um direito seu. Muitas instituições podem querer se recusar a emitir o boleto de quitação, mas não permita que eles imponham esta restrição. Além disso, a dívida deve ser recalculada e o valor final diminui. Se tiver problemas para fazer a quitação, recorra aos órgãos de defesa do consumidor (como a Proteste e o Procon) e notifique o INSS. Quando um empréstimo está prestes a acabar, os agentes da instituição costumam se aproximar novamente oferecendo um novo crédito, fique atenta para não ser induzida a erro.

Fotos: Shutterstock

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close