6 motivos para evitar parcelar compras no cartão

6 motivos para evitar parcelar compras no cartão

Você mira aquela blusinha na vitrine, mas logo vê que ela não cabe no seu bolso. É nesse momento que você começa a fazer algumas contas mentais para ver se consegue levar aquela belezinha para casa ao parcelá-la em suaves prestações. Aí mora o perigo. O parcelamento é uma ferramenta importante na hora de adquirir bens duráveis e cujo valor seja superior ao da sua renda, como um carro e até uma geladeira. Do contrário, o melhor a ser feito é mesmo pagar a vista. A seguir, você confere seis motivos para evitar as compras parceladas.

1. Você vai lidar com juros embutidos
Apesar do que as propagandas dizem, não existe compra parcelada sem juros. A verdade é que não existe almoço de graça, então, os comércios embutem essa taxa no valor da compra. Isso significa que a atitude que você toma para fazer um produto ou serviço caber no bolso acaba o deixando mais caro – mais até do que ele vale. Por isso, o melhor a ser feito é o chamado parcelamento invertido. Funciona assim: você deseja comprar um celular que custa R$ 2 mil. Em vez de parcelar este valor em 10 vezes, junte o dinheiro necessário por 10 meses, deixando-o em uma aplicação. Na hora da compra, diga que pagará a vista e negocie um desconto. Assim, além de fazer essa grana render em um investimento, você ainda levará o celular para casa por um preço menor.

2. Suas chances de fazer compras por impulso são maiores
Se a falta de grana é um motivo (justíssimo) para deixar de levar aquele sapato para casa, há quem o “resolva” dizendo que basta parcelar. Assim, um dos freios que a impedia de fazer uma compra impulsiva vai por água abaixo. Ao pagar a vista, você perceberá o real impacto daquele gasto em sua conta bancária e pensará duas vezes antes de sacar a carteira.

“Ok, então eu não tenho nada para vestir.”

3. Você continuará pagando por coisas que pode nem estar usando mais
Sabe aquela blusinha do começo da matéria? Ela pode estar moda hoje, mas daqui a seis meses já ter ficado cafona. Já pensou se você ainda estiver arcando com suas parcelas? O mesmo acontece com smartphones, que podem quebrar, se tornar obsoletos ou até mesmo ser roubados enquanto você ainda o encara na fatura todo mês.

nazare-confusa-meme

4. Você poderá perder o controle
Se analisarmos só o valor de uma parcela, podemos até ter a falsa impressão de que ela será suave ao nosso bolso. Porém, nos esquecemos que, provavelmente, há mais parcelas no cartão de crédito que precisam ser pagas – e você pode não ter essa grana para arcar com tantas comprinhas, o que a torna uma forte candidata a contrair uma dívida. Aqui, não há contas mentais que salvem.

“Cara, olha só o que chegou para você pelos Correios”

“Legal, o que é isso?”

Contas.

5. A fatura sempre virá alta
Além de fazê-la perder as rédeas, o acúmulo de parcelas no cartão de crédito pode deixar seu mês financeiramente mais difícil. Isso porque, com a fatura lá em cima, você já começará o mês carregada de contas a pagar, prejudicando todo o orçamento. Além disso, essa atitude pode gerar um efeito bola de neve: sem dinheiro para arcar com as despesas do mês, você as pagará no cartão de crédito – deixando a fatura do mês seguinte ainda mais pesada.

“Paris: nós não temos nada, nem dinheiro, nem cartões de crédito, tudo o que temos a oferecer somos nós mesmas!”

6. Seu limite estará sempre comprometido
É importante lembrar que não são as parcelas, mas, sim, o valor total da compra que é contabilizado no limite. Assim, conforme as parcelas vão sendo pagas, ele vai sendo liberado. Por isso, se você estiver carregada de parcelas e precisar fazer uma compra grande e importante, isso poderá frustrar seus planos.

Fotos: GIPHY, Tumblr e Surrealista

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

marianaribeiro

Mariana Ribeiro

Jornalista com sotaque e alma do interior. Longe das finanças, passa o tempo atrás de música brasileira, rolês baratos e ônibus vazios. Acredita que o mundo seria outro se as pessoas tentassem se ver.
Fale comigo! :) mariana@financasfemininas.com.br

close