7 dicas financeiras para recém-casadas

7 dicas financeiras para recém-casadas

Você realizou o sonho de se casar e não contém a alegria ao imaginar passar o resto da vida ao lado do seu amor? Este é um momento especial e que merece ser vivido com muita intensidade. Relacionamentos amorosos são complexos e se vocês chegaram até aqui é porque estão dispostos (as) a construir uma vida juntos (as), enfrentando os desafios que surgirem no caminho.

Para que a vida do casal transcorra com mais tranquilidade, é essencial que vocês cuidem bem das finanças.

Você também pode gostar:
Como ajudar o parceiro a cuidar melhor do dinheiro dele
Como motivar quem você ama a economizar com você
Como lidar com sogros que se envolvem nas finanças do casal

Inspiradas em matéria feita pelo site Go Girl Finance sobre este tema, listamos uma série de dicas para que você e seu amor lidem bem com dinheiro. Confira.

1. Avaliem se vale a pena ter conta conjunta

Agora que se casaram, é um bom momento para refletirem se devem ou não ter conta conjunta. Isso irá depender do perfil e dos objetivos de vocês. É importante que haja confiança e que vocês tenham consciência de que precisarão de disciplina com o dinheiro – afinal, no casamento, são os sonhos das duas pessoas que estão em jogo.

2. Mantenha sua independência financeira

Continue trabalhando e tendo sua independência – é essencial que você tenha sempre autonomia. Algumas pessoas acabam perdendo a identidade quando estão em um relacionamento amoroso. Não deixe isso acontecer. É ótimo compartilhar sonhos com a pessoa amada, mas continue tendo seus planos individuais e sua fonte de renda.

Leia também: Como as mulheres podem se prejudicar no divórcio

3. Façam planos

Nada como fazer planos com quem a gente ama! Definam objetivos e sonhos em comum – sem, no entanto, deixarem os individuais de lado. Façam estimativas de quanto dinheiro precisarão para cada um deles e em quanto tempo pretendem realizá-los. Estipulem uma quantia que possam economizar todo mês, vejam se será necessário cortar despesas ou conseguir uma fonte extra para que os projetos se tornem realidade. Informem-se sobre diferentes tipos de investimentos. Para escolher os mais apropriados, levem em consideração se os objetivos são de curto, médio ou longo prazo.

dicas-recem-casadas

Continue a ler a matéria na próxima página!

4. Definam aspectos rotineiros

Vocês terão que decidir uma série de questões rotineiras sobre dinheiro. Confira as contas que chegam no dia a dia, chame o parceiro (a) para analisar o orçamento periodicamente. Se você nunca deu muita atenção às finanças, o casamento é uma boa oportunidade para começar a entender melhor o assunto, já que as decisões sobre elas serão compartilhadas pelo casal. Jamais deixe tudo nas mãos de quem você ama, fique sempre por dentro das contas da casa.

>> Aproveite e baixe nossa planilha amiga de orçamento!

5. Livrem-se das dívidas

Se vocês estiverem com dívidas, procurem ficar livres delas o mais rápido possível. Vejam quais devem ser pagas com prioridade e procurem os credores para renegociá-las, caso vocês estejam com os pagamentos atrasados. Esforcem-se para que a inadimplência seja parte do passado. Avaliem quais hábitos financeiros geraram o problema: falta de planejamento, compras por impulso? Seja o que for, revejam o comportamento para que fiquem com as contas sempre em dia, pois as dívidas fora de controle comprometem os planos de vocês.

6. Conversem sobre dinheiro periodicamente

Falar sobre as finanças deve se tornar algo natural para vocês. Mantenham o diálogo sempre aberto para resolver quaisquer problemas, dificuldades ou pontos de vista diferentes. De tempos em tempos, sentem para analisar como está o orçamento. Revisem os planos, vejam se estão conseguindo poupar o quanto haviam previsto e pensem em mais projetos – eles nos motivam a manter a perseverança.

7. Construam uma reserva de emergência

Ninguém está livre de imprevistos. Por isso, é fundamental que vocês tenham uma reserva para momentos de emergência. Nunca se sabe quando um (a) de vocês poderá perder o emprego, ter o carro roubado ou enfrentar um problema de saúde. Avaliem o quanto conseguem poupar por mês para construir a reserva e estudem qual é o melhor investimento para guardá-la. Tenham em mente que o dinheiro para esse fundo não deve ser confundido com aquele destinado ao pagamento de contas rotineiras ou à realização de sonhos. Ao se depararem com um imprevisto, com uma reserva será mais fácil lidar com a situação e correr menos risco de ficar no vermelho.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close