A diretora que quer levar as crianças de sua escola para Harvard

A diretora que quer levar as crianças de sua escola para Harvard

Já pensou se todo mundo tivesse o propósito de trabalhar não só para manter o próprio sustento e crescer na vida, mas principalmente a vontade de transformar a vida das pessoas ao redor para melhor? O ideal parece utópico demais? Pois a diretora de uma escola do ensino fundamental em bairro de risco de Nova Iorque vem mostrando que isso é possível. Os ensinamentos de Nadia Lopez não se restringem ao programa escolar, ela tem ensinado muitos jovens a aspirarem um futuro grandioso, tal qual o projeto que nasceu com base em seu trabalho.

Como é sempre prazeroso conhecer a trajetória de pessoas que contribuem com algo a mais para a sociedade, vale muito a pena contar a vocês um pouco mais sobre a diretora Nadia Lopez. O trabalho dela ganhou grande visibilidade depois que o fotógrafo Brandon Stanton, responsável pelo famoso projeto “Humans of New York” descobriu um dos alunos da escola Mott Hall Bridges Academy.

Ao garoto, o fotógrafo fez a seguinte pergunta: “Quem foi a pessoa que mais te influenciou na vida?”. A resposta do jovem lhe chamou a atenção: “Minha diretora, a Sra. Lopez. Quando nós nos metemos em problemas, ela não nos suspende. Ela nos chama na sala dela e explica como a sociedade nos diminui. E ela nos diz que cada vez que alguém falta na escola, uma nova cela é construída na cadeia. E uma vez ela fez cada aluno levantar-se, um por vez, e ela nos disse que cada um de nós tinha sua importância”.

A história o motivou o fotógrafo a conhecer Nadia Lopez e mostrar um pouco mais sobre o trabalho dela. Em sua sala, ela explicou porque usa um método diferente para se aproximar dos jovens e ensina-los. O depoimento dela foi tão emocionante quanto o do garoto.

“Esta é uma vizinhança que não necessariamente espera muito de nossas crianças. Então, em Mott Hall Bridges Academy nós estabelecemos expectativas bem elevadas. Nós não chamamos as crianças de estudantes, nós a chamamos de scholars (em tradução livre, o termo designaria bolsista, mas o contexto usado foi para designar estudiosos). Nossa cor é o roxo. Nossos estudiosos usam o roxo, assim como os funcionários. Porque roxo é a cor da realeza. Eu quero que meus estudiosos saibam que mesmo que eles vivam em uma casa inacabada, eles fazem parte de uma linhagem real que remete aos grandes reis e rainhas africanos. Eles pertencem a um grupo de indivíduos que inventou a astronomia e a matemática. E eles fazem parte de um grupo de indivíduos que suportou tantas coisas ao longo da história e ainda assim sobressaiu-se. Quando você diz às pessoas que é de Brownsville (bairro onde fica a escola), elas torcem a cara. Mas existem crianças aqui que precisam saber que são esperadas para serem bem sucedidas.

A visita à escola motivou o fotógrafo a pensar, junto à diretora e sua assistente, em uma forma criativa de motivar a comunidade do projeto Humans of New York (cuja fanpage tem mais de 11 milhões de curtidas) a ajudar a ampliar os horizontes da escola. O fotógrafo disse que várias necessidades foram discutidas, mas que a conversa sempre voltava para um ponto central: os horizontes limitados de uma juventude em desvantagem.

A escola em questão fica no bairro com o maior índice de criminalidade de Nova Iorque e muitas crianças tem dificuldades para locomoverem-se para outros lugares, muitas delas nunca saíram da cidade. Considerando o contexto, a diretora acrescentou que pode ser muito difícil para elas sonharem, tendo em vista o contexto em que estão inseridas.

Foi então que surgiu uma ideia incrível. Os três decidiram criar um fundo em um site de financiamento coletivo para ajudar todos os jovens que ingressarem na sexta série a terem uma chance de ingressarem futuramente na Universidade de Harvard. “Quero que cada criança que entre em minha escola saiba que ela pode ir aonde quiser e que tenha o sentimento de pertencimento”, acrescentou a diretora.

O projeto já havia arrecadado mais de US$ 355 mil em apenas dois dias. Quem quiser dar uma olhada, é só clicar aqui.

 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close