A mulher e o falso rótulo de consumista

A mulher e o falso rótulo de consumista

Ser constantemente rotulada como consumista é uma injustiça que muitas mulheres sofrem. O senso comum dita há muito tempo que a mulher age de modo completamente impulsivo e se deixa corromper pelo consumismo, enquanto o homem teria uma postura diferente. Este tipo de visão é completamente equivocado.

Tanto homens quanto mulheres estão sujeitos a passar pelos mesmos apertos por má administração da própria renda, então por que a mulher precisa continuar sendo prejudicada por este rótulo?

Sabedoria ao consumir

Quando as contas estão saindo do controle, o pensamento é logo cortar todos os gastos de vez. No entanto, o que muita gente não reflete é que existe uma diferença muito grande entre consumir e consumir com sabedoria.

Não controlar o orçamento com o devido cuidado, abusar do uso do cartão de crédito a ponto de cair na cilada do parcelamento de fatura ou usar o cheque especial como se fosse um complemento da renda são erros que podem trazer sérias consequências.

O objetivo, no entanto, é que você tenha o controle sobre seu dinheiro a ponto de evitar tais situações e que saiba identificar a maneira correta de consumir. Seja prática: de que adianta trabalhar duro e batalhar pelo crescimento da sua remuneração se você não puder usufruir do dinheiro?

consumo_feminino

O trabalho não pode ser visto como uma forma de apenas pagar as contas, você precisa ter liberdade para aproveitar a vida e sustentar o seu lazer. Consumir não é um pecado, desde que você faça isso com consciência.

Por exemplo, você tem uma importante entrevista de emprego em uma empresa super formal. Ao saber disso, você dá uma passeada por algumas lojas na tentativa de encontrar um blazer bacana para a ocasião. Acontece que os preços não lhe agradaram e você resolve usar o que tem em casa mesmo. Na hora de sair de casa para a entrevista, percebe que o seu blazer, já antigo, está manchado e furado. Pronto, já não há tempo de providenciar um novo look e a imagem que você irá passar aos entrevistadores estará longe de ser impressionante, como você desejaria.

Neste caso, a compra deveria ser encarada como um investimento para algo maior, como um contribuidor para seu sucesso na hora de encarar uma entrevista. Bem como tirar uma parte da sua grana para passar um fim de semana em uma pousada para relaxar pode ter reflexos extremamente positivos em sua produtividade.

Percebe como tais exemplos são completamente diferentes daquela ideia de que consumo desenfreado? É preciso ter sabedoria na hora de gastar o dinheiro, entender quando você precisa comprar um produto ou um serviço como um investimento em si mesma e quando as compras são realmente dispensáveis.

Perfil feminino

Uma prova de que o estereótipo da mulher como uma consumista incorrigível está completamente errado é o perfil delas na hora de investir. Algumas características femininas, comparadas ao padrão masculino, mostram que assim como a mulher pode ser mais ponderada na hora de aplicar o dinheiro, ela pode adotar o mesmo comportamento quando o assunto for gastar.

De um modo geral, as mulheres optam por investimentos mais conservadores, o que aponta uma menor exposição aos riscos. Além disso, elas estudam mais na hora de escolher uma aplicação – contrariando aquela ideia de impulsividade – e têm mais paciência e visão de longo prazo.

Sendo assim, se este rótulo de consumista te influencia de modo negativo, se você acaba comprando essa ideia por puro senso comum, pense a respeito destes argumentos que trazemos aqui e saiba como o consumo pode ser encarado de uma forma mais positiva em seu cotidiano!

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close