“A mulher tem ainda uma visão muito romântica sobre dinheiro”

“A mulher tem ainda uma visão muito romântica sobre dinheiro”

Quando o assunto é planejamento financeiro, algumas de nós ainda ficam perdida. O fato é de que temos medo de tentar entender o mercado financeiro e fazer o nosso dinheiro render de uma vez por todas. No entanto, se você quer realizar os seus sonhos e pensar em um futuro sem stress, vai ter que perder a preguiça e começar a entender do assunto.

O banco HSBC fez uma pesquisa e comprovou que a mulher subestima a sua inteligência em relação aos investimentos. De acordo com um teste desenvolvido a pedido do banco, a mulher às vezes até sabe mais do que os homens sobre investimentos, porém não leva a sério a sua capacidade. Já eles costumam achar que entendem tudo de tudo. Você se identificou nesse caso?

Uma boa forma de começar a organizar a suas finanças, acreditar em si mesma e fazer a sua carreira decolar é conferir o bate-papo que a Carolina Ruhman Sandler, nossa fundadora, teve com Renata Petrovic, Diretora de Marketing de Varejo e Gestão de Patrimônio do HSBC Bank Brasil. Veja como foi:

Finanças Femininas: De acordo com a pesquisa e com a sua experiência no banco, como a mulher lida com dinheiro?
Renata: As mulheres são mais receptivas às consultorias financeiras. O jeito que a mulher encara as finanças e a evolução do patrimônio é diferente do homem. Para ela o dinheiro funciona como um viabilizador de projetos, não como um fim em si. Não é só pelo prazer de acumular dinheiro. Além disso, o dinheiro tem um significado maior, como o de realização pessoal.

Mesmo tendo uma relação melhor com o dinheiro, o que elas precisam mudar?
A mulher tem ainda uma visão muito romântica em relação ao homem e dinheiro. Ela acredita que é o homem que deve ser o provedor e é ele que vai sustentar a família. Ambos os sexos têm que se adaptar aos papeis sociais, porque essa configuração está bem diferente atualmente.

Você teve que mudar o seu padrão de pensar? Por exemplo, como foi na sua carreira?
Eu nunca pensei que ser mulher seria algum empecilho para conquistar uma posição de liderança. Porém, em relação ao equilíbrio familiar e como resolver a questão carreira X família eu me questionei muito. Pensava em ter mais tempo para meus filhos, tirar mais férias. Só que por outro lado eu gosto do que faço. Pra mim não existe abrir mão do que eu amo, que é trabalhar. Eu sem o trabalho não existo.

Como você consegue trabalhar e manter o equilíbrio na família?
No Brasil a gente tem a vantagem de conseguir bancar uma ajuda doméstica. Sem isso eu jamais teria conseguido. Não posso contar com ajuda familiar, meu pais faleceram e, mesmo se estivessem vivos, teriam uma idade avançada. Claro, o marido ajuda, apoia e divide quando precisa. Só que um problema é que eu e ele somos executivos e têm vezes que nem sempre conseguimos participar de eventos escolares. Claro, nessa hora me sinto como um péssimo exemplo de mãe. Só que minha filhas já acostumaram com essa dinâmica. Mesmo assim não me sinto culpada, não tenho crise com isso.

Quais são os novos desafios para a mulher em sua carreira de trabalho?
O grande desafio é encontrar um trabalho que seja ao mesmo tempo prazeroso e que tenha um estilo de vida que seja compatível ao seu. É fácil ver pessoas contentes com a remuneração, mas descontentes com os horários de trabalho. As mulheres querem algo que faça sentido, porque muitas mulheres trabalham bastante, mas não tem muito tempo livre. Talvez seja esse o motivo para elas não conseguirem chegar cada vez mais na liderança das corporações.

Na sua opinião, como a mulher precisa ser para começar a investir?
Nossa pesquisa mostrou que existe um conservadorismo e falta de informação muito grande para quem tem dinheiro e quer investir. As mulheres ficam assustadas ao ouvir falar de bolsa de valores e não querem nem pensar no assunto. Existem investimentos menos arriscados do que outros. E o que compõe o risco é a combinação do portfólio. Você prefere comprar uma bolsa ou ir no banco conversar sobre um novo investimento?

Quais são as suas dicas para as mulheres que querem começar a investir?
A minha dica é que a mulher deve buscar informação. Eu acho que o primeiro passo é entender o que tem disponível. Elas precisam acreditar que não é tão difícil assim. Nós aqui do HSBC buscamos entender onde a pessoa quer chegar. É um projeto de curto, médio ou longo prazo? Hoje, o que é necessário para você? Sem ter isso a mulher não consegue ser ajudada por ninguém. Questione para onde você quer ir e sobre o seu planejamento de vida.

A gente te ajuda a entender as várias opções disponíveis. Acesse a sessão Investimentos e confira vários posts sobre tipos diferentes de aplicações. Aí é só escolher a sua e correr pro abraço!

Quem você quer que a gente entreviste?

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close