Além da conta: um retrato dos brasileiros no exterior

Além da conta: um retrato dos brasileiros no exterior

Meninas, vocês já acompanharam o programa “Além da conta“, no canal GNT? Quem não conferiu ainda, vale a pena acompanhar. Comandado pela apresentadora e humorista Ingrid Guimarães, o objetivo é explorar o universo do consumo em um local mais que simbólico: Nova York! A cada episódio, que vai ao ar nas noites de segunda-feira, às 22h30, ela explora de maneira divertida a forma como os brasileiros consomem lá fora, sempre acompanhada de algum convidado.

De um jeito descontraído, o programa nos leva a pensar sobre a forma como somos estimuladas a gastar mais do que podemos. Ainda mais em um lugar que é tido como referência no mundo todo como o paraíso de quem é consumista!

Na encantadora Nova York, nada é simples ou modesto. Quem caminha pelas calçadas de vários bairros de Manhattan é praticamente arrastada pelas sedutoras vitrines, não precisa nem procurar shoppings, parece que tudo vai até você!

Em um ambiente assim, todos os nossos impulsos e “abusos” consumistas vêm imediatamente à tona. Voltar de Nova York sem estourar o cartão de crédito é praticamente uma prova de fogo.

O que tem dentro das sacolas?

Em uma volta nos arredores da Broadway, acompanhada do ator Reynaldo Gianechinni, a apresentadora abordou uma brasileira que passava com várias sacolas da Disney. Em uma delas, um enorme ornitorrinco verde de pelúcia – sim, um ornitorrinco. Em tom bem-humorado Ingrid pergunta: “Quem nunca teve necessidade de levar um desses para casa, não é gente?!”

Aliás, a ala infantil chega a ser tão sedutora ou até mais do que os outlets de roupas de grife. Na loja de brinquedos que deu origem à famosa cena do piano, do clássico de 1988 “Quero ser grande”, existem brinquedos à venda que chegam a custar US$ 250 mil. Dá para enfartar só de olhar a etiqueta, não é mesmo?

A verdade é que quem chega ali, com roteiro de compras ou de passeios, acaba voltando acompanhada de várias sacolas a mais. Por costume, já temos o hábito de comprar presentinhos como lembrança de viagens para amigos e parentes, em meio a essas “comprinhas” aparecem várias roupas, perfumes, acessórios e eletrônicos que muitas vezes ainda nem chegaram às lojas brasileiras e, quando chegam, já estão recheados de impostos que encarecem bastante os produtos.

O humorista Leandro Hassum, também convidado do programa, declarou-se consumista assumido e disse conhecer todos os outlets na palma da mão, desde as compras de roupa até os utensílios para casa. Em tom de brincadeira, ele ironizou o hábito de brasileiros de comprar vários modelos de roupa super parecidos. É realmente uma cena comum de se ver. De tempo em tempo alguma grife fica mais em alta por aqui e é comum vermos as pessoas saírem praticamente uniformizadas pelas ruas, variando somente as cores das roupas.

É um efeito coletivo e que parece seduzir tanto quem é consumista quanto as pessoas que se dizem mais ponderadas.

Ingrid Guimarães no programa Além da conta/reprodução internet

O roteiro cultural

Engana-se quem pensa que vai escapar da onda consumista porque resolveu montar um roteiro cultural para a viagem. Prova disso foi o programa que retratou o que acontece na Broadway. Com a demanda sempre em alta, as filas são quilométricas, de rodar quarteirão mesmo.

Quem não se apressa, pode facilmente ficar sem oportunidade de ver a peça que tem interesse. Mas você pensa que os compradores vão para casa se um determinado espetáculo esgota a bilheteria? Enganou-se novamente! O mais interessante é ver como as pessoas muitas vezes pagam muito caro sem ter a menor ideia do que vão assistir, sem nenhuma referência do espetáculo.

Questionada pela apresentadora, uma brasileira disse que pretendia comprar ingresso para ir ao teatro, mas sequer sabia o nome da peça. Um concierge que trabalha na região chegou a relatar para Ingrid de uma cliente que chegou a gastar US$ 25 mil dólares em ingressos, durante uma estadia curta, de aproximadamente uma semana.

Muitas vezes, não conta só a experiência de conferir um espetáculo único, comprar uma roupa diferenciada ou uma novidade tecnológica. A gente se deixa levar pela sedução do consumo, pela vontade de postar nas redes sociais fotos com compras de grife, pelo “status” de contar aos amigos como foi a experiência de consumo fora do Brasil. Enfim, como dissemos no início do texto, o programa é um convite divertido à reflexão do nosso modo de consumir!

 

E você, como consome em viagens internacionais, conte para nós a sua experiência! 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close