Aprenda a lidar com as dívidas com Becky Bloom

Aprenda a lidar com as dívidas com Becky Bloom

Quem não ama umas comprinhas? Mas tem casos em que a coisa passa dos limites… O filme Os delírios de consumo de Becky Bloom (Walt Disney Pictures, 2009) conta a história de uma jornalista recém-formada, Rebecca Bloowood (Isla Fisher), que está desempregada e é uma compradora compulsiva. Por mais que esteja na na pior, lotada de dívidas, adora lojas de luxo e uma liquidação!

Enquanto compra sem parar, na maioria das vezes artigos sem necessidade alguma, o seu celular toca incessantemente com cobradores. A cada dia que passa suas dívidas só aumentam. Os números (e os juros) não param de crescer, mas mesmo assim Becky nem liga e arranja desculpas para comprar tudo que vê pela frente. Para tudo e todos ela tem uma desculpa e compra sem pensar.

Por ironia do destino, a protagonista consegue um emprego num jornal como repórter de finanças pessoais. Mesmo assim ela não consegue controlar seus gastos e a situação sai do controle. O problema das compras de Becky é comum e tem um nome: oneomania, a síndrome ou complexo do consumo.

Segundo estudos da USP, de 2% e 8% de pessoas do mundo tem essa síndrome. Em cada cinco compradores compulsivos, quatro são mulheres. A sensação de prazer na hora de pagar a conta no caixa pode ser comparada facilmente ao uso de drogas. Na maioria dos produtos, os viciados compram sem mesmo precisar daquele artigo.

Na ficção, as dívidas de Becky são gritantes e ela procura um grupo de devedores anônimos. A princípio fica assustada com a situação e não dá o braço a torcer que está encrencada. Só que ao ouvir as histórias, ela decide se abrir, contar sua história e assumir que está com um problema de verdade.

A história de Rebecca existe na realidade e, assim como ela, essas pessoas também precisam de ajuda especializada para desafogar das dívidas. No Brasil também existe um grupo de Devedores Anônimos, em que consumistas compulsivos se reúnem para se salvarem das dívidas juntos, com depoimentos. A maioria dos participantes são pessoas da de classe A e B, ou seja, com um poder aquisitivo alto. Mesmo assim, a renda não é o suficiente para a compulsão e, por isso, buscam ajuda.

A ideia dessas reuniões foi importada dos Estados Unidos – lá o processo é mais antigo e começou em 1976. Desde então ficou mais fácil definir qual é o perfil dos compradores excessivos e achar uma solução para os problemas de cada um deles. As principais características deles primeiro é o impulso e depois a falta de planejamento. Assim como Becky, compram com desculpas e depois ficam arrependidos. É um ciclo vicioso e sem fim…

Aprenda com Becky Bloom:

1º Assuma: Por mais que arranje mil e uma desculpas para comprar e não assumir as suas dívidas, enxergue a realidade – está com dívidas e precisa economizar. E não basta assumir isso somente para você, diga também para os mais próximos qual é a sua situação e quais serão suas atitudes para sair dessa. Na maioria dos devedores anônimos, as dívidas ultrapassam tantos os limites que atingem de alguma maneira a renda familiar.

2º Renda-se: Por mais que precise daquela peça de roupa ou produto, não compre! Entenda de uma vez por todas que o que ganha não dá para pagar o que consome. Quer tirar prova disso? Faça uma lista com todos os seus gastos. Cerca de 20% a 30% dá para eliminar sem fazer falta. Fora isso, calcule quanto de juros você paga por ter adquirido o bem, por atrasar o pagamento ou por ter financiado. Chegou a hora de pensar em você, no seu futuro e na sua velhice.

3º Planeje: Faça planos e sonhe. Liste em um papel, coisas que quer fazer antes de morrer. Além desses, veja como vai se sustentar na velhice. Para cada item é necessário guardar uma quantia e se planejar financeiramente. Faça uma comparação com suas dívidas. Enquanto dever, não vai conseguir atingir nenhum desses objetivos.

Para conseguir sair dessa é preciso ter força de vontade e tentar até a última. Vá em frente e conquiste o que deseja. Se precisar, peça ajuda de um especialista ou do grupo de devedores anônimos.

Você consegue controlar seus gastos? Conte nos comentários como faz isso!

Foto: Reprodução.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

Carol Sandler

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close