As lições que aprendemos com as mães solteiras

As lições que aprendemos com as mães solteiras

O casamento acabou. Os dias de festa do casal, a alegria da chegada dos filhos na família, os planos para o futuro, tudo isso acaba guardado em um álbum de fotografias. Em meio às dificuldades para superar o momento, vem a pressa da realidade: a vida continua, sem pausa para recuperação.

Em muitos casos de separação litigiosa, a mulher fica em uma situação ainda mais delicada: a tarefa de orientar as crianças, lidar com as despesas de casa e ainda superar o trauma emocional. Neste momento, o apoio de um terapeuta e dos familiares é fundamental.

Para quem tem um fundo de emergência, este é um momento propício para fazer uso da verba. É um meio de ganhar um fôlego até as coisas voltarem à normalidade. Quem não possui nenhum dinheiro reservado para eventualidades acaba enfrentando um período amargo financeiramente.

Aos filhos, mesmo os pequenos, fica o aprendizado. Ao verem as mães desdobrando-se para dar conta da educação e das contas da casa, a vida ensina a eles as primeiras lições de educação financeira.

Comece a poupar desde cedo

É comum ouvir jovens dizerem que não pensam no futuro e que estão preocupados apenas com o agora. Com essa visão imediatista, o dinheiro que poderia ser investido em uma aposentadoria privada, fundo de retorno a longo prazo ou mesmo um fundo de emergência acaba sendo gasto em liquidações, viagens, farras. É claro que todo mundo tem direito a usar o dinheiro para a diversão e os prazeres da vida, o problema é fazer isso sem pensar no amanhã, sem reservar pelo menos um pouco para o futuro.

Se no começo da carreira o salário for baixo a ponto de não dar para reservar nada para um investimento, vale adequar o modo de vida ao patamar de rendimento, evitando dívidas e uso excessivo do cartão de crédito.

o que aprendemos com mães solteiras

Busque a independência financeira

Se você ainda é jovem, procure tornar-se independente do dinheiro de seus pais o quanto antes. Por mais que seja confortável contar com o apoio, o conforto e a casa dos pais para viver com tranquilidade, viver durante muito tempo nessa situação pode levar ao comodismo.

No casamento, o natural é que o casal unifique o orçamento para dar conta das despesas da casa. Ainda assim, batalhe para manter sua carreira profissional sempre em um bom patamar e mantenha algumas aplicações individuais, justamente para o caso de alguma emergência.

Evite as dívidas

Embora saibamos que somos estimulados a consumir o tempo inteiro, há como viver de forma mais modesta, sem passar sufocos! Em um primeiro momento, as pessoas podem assimilar a informação como um sacrifício, uma vida de renúncias, assim como acontece quando estamos de dieta. Não é bem assim!

Pense bem, quantas vezes você acaba caindo na conversa de vendedores ou nas tarjas de promoção e acaba levando para casa uma roupa que nunca tira do armário? Pior ainda, com certeza é difícil lembrar de uma compra dessas que tenha sido feita à vista, correto? Nessas horas, o cartão de crédito é o primeiro a ser lembrado.

É exatamente disso que estamos falando. Reflita sobre a forma como encara o consumo. Viva de acordo com as suas necessidades. Ninguém precisa ter um armário cheio de sapatos. Pode até ser motivo de orgulho, mas é desnecessário. Com uma vida mais equilibrada quanto ao consumo, sobra mais dinheiro para o que é duradouro!

 

 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close