Coaching: como se tornar coach em 3 passos

Coaching: como se tornar coach em 3 passos

O caminho para alcançar uma meta pode ser longo e cheio de decisões. Por isso, muitas pessoas procuram o coaching com o intuito de tomar rumos mais assertivos. Além disso, a demanda por esses profissionais também é crescente nas empresas, que perceberam como o método pode facilitar a vida corporativa. Com isso, o mercado de trabalho nunca esteve tão convidativo para quem deseja se tornar coach.

Por definição, o coach é o profissional que ajuda seu cliente – chamado de coachee – a se aprimorar e agir em direção aos seus objetivos, mostrando a ele seu potencial. Por isso, para seguir essa carreira, é preciso gostar de gente, pois será preciso lidar com pessoas e seus sonhos o tempo todo.

“O coach deve estar ciente de que tem nas mãos a responsabilidade de conduzir seu coachee até a meta traçada por ele, seja a promoção no trabalho, a perda de peso, ou até mesmo a aquisição de um bem. Ele é o responsável por despertar no cliente a melhor versão de si mesmo, através do autoconhecimento, missão e visão de vida, entre outros aspectos”, define José Roberto Marques, Master Coach e Presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC).

Se você se identifica com a profissão, atente-se aos três passos indicados pelo especialista para se tornar uma coach.

1. Informe-se

Antes de seguir essa profissão, é preciso saber exatamente com o que você está se envolvendo. Procure informações a respeito da carreira e do cotidiano da profissão – vale conversar com coaches com certo tempo de experiência para entender como funciona o mercado de trabalho. Isso será fundamental para você entender se tem o perfil necessário para ser uma coach.

como-ser-coach-coaching

2. Entenda sua vocação

O coaching é dividido em duas partes: profissional e pessoal. Cada um se subdivide em outros nichos de atuação. O profissional, por exemplo, pode ser voltado para liderança, gestão, carreira, executivo, vocacional, transição de carreira, aposentadoria, esportivo, vestibulando, concurseiros, recursos humanos, entre outros. Já o pessoal diz respeito ao coaching de relacionamento, emagrecimento, familiar, espiritual, bem-estar, emocional, para gestantes etc.

“Todos eles trabalham aspectos comuns, como o desenvolvimento e controle da inteligência emocional, comunicação, relacionamentos, gestão de tempo, planejamento estratégico, motivação, autoconhecimento, autodesenvolvimento, redução do estresse e qualidade de vida”, diz Marques.

De acordo com o Master Coach, a maior parte das pessoas que buscam essa profissão acabam seguindo um nicho referente à sua área de atuação. Marques aponta que, por exemplo, personal trainers podem se tornar coaches de emagrecimento, ou mulheres que já tiveram problemas em conciliar vida profissional e maternidade podem oferecer coaching de carreira para outras mulheres que passam pela mesma questão.

Por isso, um bom primeiro passo para entender sua vocação é observar sua profissão atual.

3. Busque a formação necessária

A base necessária para seguir a profissão é a mesma para todos, independentemente do nicho de atuação – o mais importante é que ela lhe capacite a escolher o melhor processo para o objetivo de cada cliente. “Ela deve oferecer conhecimento, técnicas e ferramentas que permitirão que a futura profissional atenda qualquer pessoa, em qualquer nicho, pois as técnicas e ferramentas são aplicadas conforme objetivo e evolução do cliente”, explica.

Existem diversas instituições de ensino que oferecem o curso de formação de coaching. Para escolher, uma boa dica é procurar recomendações de ex-alunos. Não tenha medo de entrar em contato com as instituições e fazer quantas perguntas achar necessário, pois só assim você verá qual dará mais subsídios para você trilhar uma carreira de sucesso.

“É válido buscar por aquelas que possuem certificação e reconhecimento internacional, uma vez que o processo é oriundo da Europa, e nada mais certo do que aprender através das bases da metodologia original”, orienta. Outros detalhes, como as certificações, titulações, atividades complementares e apoio pós-formação, também fazem diferença na hora da escolha. De acordo com Marques, o ideal é contar com um curso que tenha carga horária média de 180 horas e que seja presencial.

A boa notícia é que pessoas de qualquer área de formação podem estudar para se tornar coaches – basta encontrar sua vocação e estar pronta para ajudar outras pessoas a também encontrarem as delas.

Matéria atualizada em 19/07 às 11h07.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close