Como proceder em casos de assédio moral no trabalho

Como proceder em casos de assédio moral no trabalho

*Renata Malta Vilas-Bôas

Desde novos ouvimos que o trabalho dignifica o homem, contudo, em razão de determinados chefes, o trabalho pode ser uma fonte de problemas, e não de solução.

Tema bastante tormentoso é o assédio moral no trabalho, pois onde imaginava-se que o empregado iria se desenvolver, acaba sendo a sua maior fonte de problemas. Assim, para verificarmos a existência do assédio moral no trabalho é necessário que os trabalhadores e trabalhadoras sejam tratados de forma humilhante, constrangedora, de forma repetida e prolongada, durante o seu período de trabalho. Normalmente, ocorre em decorrência da hierarquia existente entre o chefe e o empregado. Essas humilhações constantes acabam desestabilizando emocionalmente o empregado.

A vítima escolhida é ofendida em sua honra de diversas formas, sendo às vezes, ridicularizada, outras hostilizada, inferiorizada. Os demais empregados, com medo de também sofrerem essas hostilizações ou com medo de perder o emprego acabam abandonando a vítima.

O agressor normalmente escolhe a vítima e passa a isolá-la do grupo, ridicularizando-a em público, menosprezando-a perante os demais empregados. A ideia aqui é destruir a vítima escolhida, fazendo com que ela perca a sua auto estima.

Caso o isso comece a acontecer com alguém, sugere-se que comece a gravar as ofensas que vem ocorrendo, que relate ao superior do seu chefe. Se isso nada resolver, que ingresse com a ação pedindo a indenização cabível.

Não se deixe destruir por essa pessoa que para aparentar estar bem precisa destruir os demais, e não ache que depois que tenha massacrado uma vítima o agressor vai parar, ao contrário, ele sairá em busca da próxima vítima.

O Ministério do Trabalho e Emprego lançou uma cartilha com o objetivo de orientar as pessoas do que vem a ser o assédio moral no trabalho, recomenda-se a leitura. Encontra-se disponível neste link.

assedio-moral

Vários são os processos contra empresas que não cuidaram do seu pessoal e por isso respondem por danos morais. Existem diversos exemplos grotescos, mas talvez, o que se supere seja uma empresa que resolveu que o profissional que não atingisse a meta deveria então deitar em um caixão – sendo considerado “um profissional morto”.

A criatividade humana para humilhar o outro é inesgotável, portanto, não adianta apresentar uma lista de situações consideradas como assédio moral no trabalho, precisa ficar claro que quando está ocorrendo o assédio, alguém – normalmente um chefe – busca de todas as formas menosprezar o trabalho da vítima, rebaixando-a, ridicularizando-a, fazendo com que a sua auto estima seja atacada de todas as formas.

E essa barbaridade precisa acabar.

Mas não é só o empregado que acaba perdendo, a empresa que não cuida do seu ambiente de trabalho também terá prejuízo, de forma direta com a indenização ao trabalhador que ela humilhou ou deixou humilhar, e de forma indireta porque a produção de toda a coletividade acaba comprometida.

 

*Renata Vilas-Bôas é advogada e professora universitária, atua, especialmente, na área de Direito Civil, Família, Sucessões. Escreve sobre as principais questões jurídicas que afetam a vida das mulheres.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Renata Vilas-Bôas

Renata Vilas-Bôas

Direito da Mulher

close