Como as mulheres podem se prejudicar no divórcio

Como as mulheres podem se prejudicar no divórcio

O divórcio costuma ser um processo traumático. É uma mudança e tanto e, não raramente, as divorciadas levam um tempo até construírem uma nova identidade para si mesmas. Mas não são apenas as emoções que podem ficar “balançadas”. As consequências do divórcio também podem chegar ao bolso, especialmente no caso de mulheres.

Um dos motivos pelos quais isso ocorre são os erros financeiros cometidos após o divórcio e o fato de muitas vezes o rompimento acontecer de forma longe do ideal. Se você não participa das decisões financeiras ao longo do relacionamento, pode ficar em uma posição delicada, por exemplo, na hora de fazer um acordo.

Você também pode gostar:
É possível alterar o regime de bens do casamento?
Vídeo: O poder da informação para o empoderamento feminino
Os cuidados com o orçamento em tempos de crise

Além disso, é recomendável se certificar de que tem acesso às senhas bancárias, contas de investimento, cópias de declarações recentes de Imposto de Renda e cópia de seu relatório de crédito, por exemplo. Saber exatamente tudo que está relacionado ao seu patrimônio é um cuidado básico. Se você pensar friamente a respeito do tema, vai perceber que não existe motivo para delegar isso a outra pessoa.

Outro problema financeiro que as mulheres geralmente enfrentam após o divórcio são os gastos na criação dos filhos. Mesmo que eles recebam pensão, ela geralmente não é suficiente para cobrir todos os custos envolvidos na criação de um filho, como aqueles com atividades extracurriculares.

divórcio mulheres prejudicadas

 Continue a ler a matéria na próxima página!

Por isso, já no início dos acordos relacionados ao divórcio, esses gastos precisam ser definidos. Ao negociar, especifique todas as despesas, de forma que não sejam discutidos apenas os gastos básicos. A responsabilidade financeira pela criação dos filhos é a mesma para os pais. Ou seja: se você tem a guarda da criança, o valor da pensão deve ser reavaliado se o ex-parceiro (a) não estiver contribuindo com o necessário. Além disso, planos de saúde, mensalidades escolares e outras despesas podem sofrer reajustes periodicamente, então o valor da pensão precisa ser um assunto sempre aberto a ser rediscutido quando houver necessidade.

Outro fator que pode prejudicar as mulheres no processo de divórcio é a forma de lidar com advogados. Muitas vezes, elas não se sentem confortáveis para questioná-los sobre questões importantes e se sentem constrangidas para pedir esclarecimentos.

O ideal seria que os advogados agissem para contribuir o máximo possível com suas clientes e buscassem garantir a elas os melhores acordos. Mas isso não é necessariamente o que sempre acontece. Então, fique atenta se achar que lhe está sendo oferecido um acordo fraco. Questione. É o seu direito. Antes de assinar o acordo de divórcio, certifique-se de que compreende cada parágrafo contido nele.

Independente de você estar se divorciando ou não, algo interessante para refletir é sobre sua independência financeira, principalmente se você não trabalha. Mesmo que o seu marido pague todas as contas e vocês tenham um ótimo relacionamento, é importante você saber que tem capacidade para se sustentar. Há algo em que você seja realmente boa e com o qual possa ganhar dinheiro? Há algo que queira aprender para começar a trabalhar? Cuidar da independência financeira é uma forma de sempre preservar a sua autonomia.

Este post foi inspirado na matéria : “4 Ways Women Get Screwed in Divorce”, do site Daily Worth.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close