Como lidar com uma mudança no padrão de vida

Como lidar com uma mudança no padrão de vida

Imprevistos podem surgir na vida financeira de qualquer pessoa: desemprego, gastos elevados com saúde ou dívidas que se acumulam, por exemplo. Em momentos assim, você pode se ver obrigada a rever o padrão de vida. Uma mudança dessas não é uma tarefa fácil, mas, com planejamento, você consegue dar conta. O importante é ter em mente que essa transformação não será, necessariamente, definitiva. No futuro, quando sua situação financeira estiver melhor, você terá a oportunidade de voltar a ter um padrão de vida mais alto.

“Quando lidamos com situações adversas, temos que nos adequar a um novo orçamento”, afirma Eliza Lippe, professora de gestão financeira da IBE-FGV. Segundo ela, é necessário colocar no papel as receitas e os gastos mensais para avaliar o que pode ser modificado. De acordo com a especialista, ao colocar o orçamento no papel, é mais fácil enxergar o que pode ser mudado. “Dá para ver porque o dinheiro não está rendendo tanto, onde está ocorrendo o escoamento (de dinheiro) e se é possível fazer investimentos”, explica. 

>> Aproveite para baixar nossa planilha amiga de orçamento!

Você também pode gostar:
3 passos para aprender a gostar de economizar
Como manter a autoestima e a motivação após perder
o emprego

Quem disse que não dá para organizar as suas contas?

As despesas fixas merecem sempre muita atenção – e essas podem ser cortadas sem tanto sofrimento. Observe, por exemplo, como anda o consumo de energia em sua casa. “Veja se a geladeira está consumindo muita energia”, recomenda Eliza. Segundo ela, dependendo do caso, pode ser melhor trocá-la, e optar por um modelo seja mais econômico. Cortar a TV por assinatura também é uma opção neste momento.

Eliza cita também os gastos supérfluos, como refeições fora de casa e compras de guloseimas no supermercado. Se você está tendo muitos gastos diários com almoço, por exemplo, pode levar comida de casa para o trabalho alguns dias por semana ou pesquisar restaurantes mais baratos. Se tem o hábito de encher o carrinho de  guloseimas sempre que vai ao supermercado, este é o momento para melhorar sua alimentação.   

foto padrão vida

Outra dica é rever os gastos com transporte. Se você usa muito o carro e tem despesas elevadas com combustível, mude este hábito. Divida caronas com colegas de trabalho ou outras pessoas que costumam ir para os mesmos lugares que você. Avalie quais rotas você poderia fazer de bicicleta ou usar o transporte público.

Gastos com estudos também podem ser repensados. “Escola particular é muito cara. Então, veja se a escola de seu filho oferece aulas de inglês, natação, etc”, recomenda Eliza. O objetivo é concentrar os gastos todos em uma única escola, assim você evita gastar com cursos de idioma ou para prática de esportes.  

Se você tiver que diminuir o padrão de vida, encare a situação de frente. “Quando temos um problema, a primeira reação é a fuga. Mas, quando enfrentamos e vemos como estão nossas despesas, começamos a ver como podemos cortar os gastos.”

O importante é manter o controle e pensar estrategicamente nas soluções que podem ser adotadas. “Mantenha a calma, foque no seu orçamento, nas despesas fixas e variáveis. Tente negociar as dívidas e procure negociar valores mais baixos de condomínio e aluguel, por exemplo. Não deixe as contas virarem uma bola de neve”, diz a professora.

O período de adaptação a um novo padrão de vida pode variar de acordo com o perfil de cada uma. Na avaliação da especialista, uma pessoa bem regrada e disciplinada com os gastos pode demorar de quatro a seis meses para se adaptar.

Ao planejar as reduções de despesas, leve em consideração a relação de custo e benefício do que você consome.  Se você, por exemplo, precisa ou faz questão de ir ao massagista uma vez por semana para aliviar o estresse do trabalho, mantenha esse gasto. Para compensar, você pode economizar um pouco mais com as refeições fora de casa durante a semana. Afinal, em um caso como este, é preferível você manter essa despesa que tanto contribui com sua saúde e bem-estar do que eliminá-la e, posteriormente, precisar gastar com remédios para controlar o estresse.

Independente de qual for sua situação, de quais coisas terá que abrir mão, se precisará de pequenos ou grandes ajustes no orçamento, mantenha-se otimista e tenha em mente que quando suas condições financeiras melhorarem, você poderá retornar a um padrão de vida melhor. Aproveite este período como um aprendizado para otimizar seus gastos. Depois de atravessar esta fase ruim, ficará a experiência de aprender a cuidar melhor do seu dinheiro.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close