Como limpar o seu nome

Como limpar o seu nome

Cenário pesadelo: quem não tem pavor só de pensar em receber uma carta dizendo que seu nome está indo para a lista de inadimplentes? Isso dá um frio na barriga e causa diversos problemas para a sua vida financeira. Fazer dívidas é muito fácil – a maior dificuldade é pagar por elas.

Assim que você cria um a dívida em uma empresa credora e não paga por ela, corre risco de ficar com o nome sujo. E não é tão difícil se enroscar nessa, basta fazer uma compra parcelada e não pagar por determinado tempo. Nesse tipo de situação, é certa de que você vai cair na lista dos inadimplentes.

E não adianta se fazer de desentendida. Cada uma sabe dos acordos financeiros que fez e precisa honrar tudo dentro da data prevista. Certo? Mesmo assim, nessa altura do campeonato não dá pra chorar o leite derramado e fugir dos problemas e ficar sem pagar. Com o passar do tempo os juros só aumentam e sua situação fica mais complicada.

Lembre-se que para tudo tem solução, mas o primeiro passo é saber como ficou com nome sujo e qual é o tamanho desta dívida. Para saber maiores detalhes da sua dívida é preciso ir a um posto de atendimento do SCPC ou visitar o site da Receita Federal. Aqui você descobre o quanto está devendo e para qual instituição.

Sabendo disso, fica mais fácil renegociar a dívida e ter o nome limpo. Conforme o número de brasileiros devedores cresce, a SERASA desenvolveu um site em que o consumidor pode fazer as consultas e saber para onde está devendo. Essa ferramenta é o meio caminho entre a empresa credora e o devedor e possibilita uma negociação mais fácil entre eles.

Para renegociar as dívidas
Antes de pensar em buscar refinanciar suas dívidas, você precisa saber exatamente quais são elas, 
assim fica sabendo qual é o tamanho do rolo. Por isso, é necessário que você anote todas as contas pendentes com a credora e, principalmente, os juros pagos pelo atraso delas.

Mesmo se a sua situação estiver complicada e você estiver atolada em dívidas, nem pense usar o cheque especial do seu banco ou entrar em uma dívida no cartão. Nesses casos os juros são abusivos e altos, não valem a pena em hipótese nenhuma. Tenha calma e use a estratégia ao seu favor.

Assim que fizer uma dívida, guarde tudo – o contrato assinado, as parcelas já pagas, todas que deve e inclusive as cartas de cobrança que recebeu em casa. Em seguida, avalie com tranquilidade como pode pagar tudo aquilo, mas para isso é preciso ter a real vontade de regularizar a sua situação financeira e recuperar o seu nome na praça.

A partir de agora é preciso ter humildade e procurar a empresa que deve. Mostre que realmente tem a intenção de pagar e fale qual é a sua situação financeira atual. Por mais que esteja numa situação delicada, seja sincera e trate do assunto com honestidade.

Como querem que você pague o que deve, o atendente vai fazer uma proposta para facilitar o pagamento. Só aceite o novo pagamento se a situação estiver favorável para o seu rendimento mensal. Não adianta nada fechar um novo negócio se não vai conseguir pagar. Neste caso você deve apresentar a sua ideia de pagamento e quanto pode pagar.

Por mais que as coisas não tenha sido fechadas como pretende, é preciso chegar o mais próximo possível de uma proposta que você consiga pagar efetivamente. Afinal de contas, o seu principal interesse é pagar e não dever mais ainda, certo?

Feito isso, guarde os papéis que comprovam a renegociação e peça um documento que formalize o acordo firmado da dívida. Guarde isto junto com todos os outros documentos que reuniu anteriormente para fazer a proposta.

Com tudo renegociado, regularize a sua vida financeira. A partir de agora o seu principal interesse é se livrar das dívidas e fazer seu dinheiro render. Por isso, mais do que nunca, o planejamento financeiro é essencial para voltar a ter uma vida financeira normal.

Separe seu salário em duas partes. A primeira será utilizada para pagar as despesas mensais e fixas, como água e luz. A segunda parte servirá para você pagar as dívidas renegociadas e limpar seu nome futuramente. Para isso é necessário poupar os gastos desnecessários e segurar na aquisição de novas dívidas. Controle-se.

E nem pense em começar a poupar para um objetivo futuro, enquanto não tiver saldado a sua dívida! Se tiver dinheiro sobrando, use no pagamento da dívida. Você não vai encontrar uma aplicação que tenha um rendimento maior do que os juros cobrados nas suas dívidas – ou seja: elas crescem mais do que o seu dinheiro poupado. Então se estiver no vermelho, use a sua poupança para se livrar desta situação.

A vida depois de saldar suas dívidas pode ser alarmante, porque se você perdeu o controle uma vez, é possível que você contraia as dívidas novamente. Tenha controle e saiba direitinho da dívida que está fazendo daqui pra frente.

Caso tenha problemas para conseguir adquirir um cartão de crédito ou fazer uma nova dívida, questione de imediato a empresa. Segundo o Procon-SP o consumidor tem que saber a justificativa para aquele serviço ser negado pela instituição.

Você está endividada e não sabe o que fazer? Conte para a gente nos comentários!

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close