Como Montar uma Carteira de Investimentos?

Como Montar uma Carteira de Investimentos?

Com certeza você já pensou ou ouviu que deveria investir o seu dinheiro – afinal, por que deixar seu dinheiro parado, se ele pode render um pouco todo mês? No entanto, muito provavelmente você nunca parou pra pensar em como fazer isso e confiou na primeira sugestão que a gerente do banco ofereceu. Pois é, você não é a única.. A cultura do investimento ainda é pouco explorada no Brasil e muita gente não sabe qual a melhor forma de lidar com a tal da Carteira de Investimentos.

A verdade é que não existe um modelo certo. Cada um tem a sua carteira ideal de acordo com diversos aspectos.

O primeiro passo para construir a sua carteira é entender o seu momento financeiro e as suas metas de investimento. Qual é a sua idade, renda mensal, nível de conhecimento, necessidade de dinheiro e qual é o seu objetivo com o investimento – você quer deixar rendendo mas sem risco de perder dinheiro ou arriscar para tentar ganhar muito mais?

Com isso em mente, você deve definir a estratégia dessa carteira – qual o horizonte de investimento, quanto desse dinheiro você aceita correr mais risco e quanto você precisa deixar para cobrir o saldo da sua conta corrente. Imagina que você vai precisar pagar uma parcela do seu carro no final do mês e está sem dinheiro na conta. Faz sentido você colocar esse dinheiro em uma operação de alto risco e eventualmente perder parte desse dinheiro no final do mês? Normalmente, não faz. Geralmente, é nesse momento que você deve pensar em quanto pode deixar em Renda Fixa (mais seguro, mas com menor retorno), quanto pode colocar em Multimercados e Renda Variável (mais arriscado, mas com maior chance de rendimentos maiores). Explicaremos no detalhe todos esses conceitos em posts futuros.

O último passo para definição da sua carteira é escolher os tipos de ativo nos quais investir. Podem existir diversas opções com perfis diferentes dentro de cada classe de investimento! Um exemplo: dentro dos Fundos Multimercados você pode ter um Fundo Macro com volatilidade baixa e um fundo Long & Short com volatilidade alta. São produtos completamente diferentes. Em Renda Fixa, os produtos variam desde “Caixa”, aquela operação mais tranquila com liquidez diária até Crédito Privado e Inflação com riscos e prazos que podem ser bem diferentes. Outro aspecto para analisar é o gestor do produto, caso seja um fundo de investimento ou carteira monitorada por alguém ou a contraparte em uma operação de Renda Fixa.

Sei que esse post traz muitos termos novos mas o mais importante aqui é entender que montar uma carteira de investimentos exige uma análise criteriosa do seu perfil e do seu objetivo com o seu dinheiro. Você tem que entender o que você precisa e o que quer. Pra conseguir colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranquila!

Uma dica? Faça o teste do seu perfil no site e tenha uma idéia do que poderia ser sua carteira de investimentos. Se quiser uma análise mais específica ou tiver qualquer dúvida, escreve pra gente!

Espero que ajude!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close