Como pedir demissão sem outro emprego garantido

Como pedir demissão sem outro emprego garantido

Você quer pedir demissão mesmo sem ter garantido um novo trabalho? Vários motivos podem ter te levado a cogitar essa possibilidade: o desejo de tirar um ano sabático, livrar-se de um chefe carrasco ou um ambiente de trabalho doentio, ter mais tempo para si ou para a família, ou desenvolver projetos pessoais.

Seja qual for a razão, muita gente pensa que é loucura pedir demissão sem ter conseguido um novo emprego, ainda mais em um período de recessão econômica como o que vivemos. Escolher ficar desempregada é algo arriscado e significa trazer incertezas para sua carreira e seu futuro financeiro.

Você também pode gostar:
Erros de gestão fazem empresas perderem grandes talentos
Quanto devo economizar antes de pedir demissão?
O que fazer com a rescisão do contrato de trabalho

Mas, no fim das contas, cada um sabe o que está passando e os motivos para tomar uma decisão tão importante. O fundamental é que, antes de dar este passo, você pese os prós e os contras com muito cuidado para não se arrepender depois.

Se você já está decidida, veja três orientações listadas em matéria do site Go Girl Finance para se planejar melhor antes de deixar o emprego:

1. Prepare uma reserva para emergências

Você vai precisar  de uma reserva financeira. Com esse dinheiro, você poderá manter as contas em dia enquanto não retorna ao mercado de trabalho.

O ideal é que a reserva seja suficiente para te sustentar por um período de seis meses a um ano. Considerando que o índice de desemprego chegou a quase 11% neste ano e que a média de tempo para recolocação no mercado de trabalho é de 8 meses, quanto mais dinheiro você juntar, melhor. Para que a tarefa de preparar a reserva seja menos assustadora, você pode reduzir as despesas mensais de maneira significativa.

Diminua gastos com supérfluos, cancele a TV por assinatura, mude para um plano de celular mais acessível, consuma menos energia e gaste menos com guloseimas no supermercado, por exemplo. Estabeleça prioridades e não compre por impulso. No entanto, você precisa guardar um espaço para poder ter pequenos prazeres sem ir à bancarrota – por isso, estipule um valor mensal do seu orçamento para gastar com você mesma.

Você também pode trabalhar como freelancer, além de vender pertences que estejam sem uso em casa. Já pensou em levar cachorros para passear ou cuidar de crianças? Que tal vender coisas que não usa em sites de compra e venda? Para mais dicas de como ganhar uma grana extra, vale conferir o curso “Como ganhar mais dinheiro” do Finanças Femininas.

2. Encare o período de desemprego com sabedoria

Muita gente acredita que é mais difícil encontrar emprego quando se está desempregada. Afinal, em entrevistas, você pode ter que explicar o motivo de ter ficado um tempo afastada do mercado. No entanto, isso não é o mais importante. Muitas empresas podem ter mais interesse no que você tem a oferecer do que na razão que a levou a pedir demissão.

Porém, para se prevenir de qualquer saia justa e, acima de tudo, aproveitar melhor o tempo livre, faça alguma atividade enquanto estiver desempregada. Isso é importante para que você permaneça na ativa e acumule experiência para apresentar em novas entrevistas de emprego. Você pode fazer trabalho voluntário, iniciar um projeto que sempre quis, viajar ou fazer cursos.

Mantenha o networking ativo e o currículo atualizado em sites de vagas de emprego e no LinkedIn. Continue a se informar sobre as tendências em sua carreira e vá a palestras e eventos sobre temas relacionados à sua área de atuação. Dedique-se à leitura e a hobbies. Eles são muito importantes para você relaxar e renovar as ideias.

Consciente sobre as habilidades que adquiriu, você terá mais confiança e mais chances de ser convincente ao explicar porque estava desempregada.

foto 3 orientações

3. Prepare-se para o momento de retorno

Mais cedo ou mais tarde, você terá que voltar a trabalhar. Pode ser quando suas reservas financeiras tiverem acabado, quando tiver concluído um projeto de trabalho voluntário ou completado um curso. O “gap” na carreira não pode durar para sempre. Então, esteja preparada para voltar a trabalhar. Se você tiver usado o tempo sem emprego com sabedoria, terá mais chances de um bom retorno.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close