Como reduzir as dívidas da família

Como reduzir as dívidas da família

Com a crise, o endividamento das famílias bateu números impressionantes: segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC), 58,2% das famílias brasileiras estão devendo – ou seja, mais da metade. Se você também faz parte deste número, saiba que, organizando o orçamento familiar, é possível sair dessa situação. Confira nossas dicas a seguir e limpe já o seu nome!

Leitura complementar

Planilha de Orçamento Familiar

Planilha de Orçamento Familiar

Ver mais

1. Tenha controle sobre o orçamento familiar

Coloque no papel todos os gastos da família, organizando-os por gastos fixos, variáveis e supérfluos. Assim, você terá um panorama das despesas e saberá bem o que poderá ser cortado para ajudar a quitar a dívida. Para te ajudar nessa tarefa, preparamos uma planilha simples de usar, onde basta você preencher com a renda e os gastos da família para ter uma visão ampla de suas finanças. Clique aqui e baixe!

2. Organize suas dívidas

É comum encontrar quem esteja tão endividada que mal sabe o que precisa pagar. Não seja essa pessoa! É fundamental saber o tamanho do problema para resolvê-lo adequadamente. Liste todas as suas dívidas e seus respectivos Custos Efetivos Totais (CET). Temos uma planilha que irá ajudá-la a fazer isso, clique aqui e baixe.

3. Comece pelas dívidas com maior taxa de juros

Isso porque elas se multiplicam mais rapidamente do que as demais, podendo fazer um belo estrago nas finanças da família. Dívidas de cartão de crédito e cheque especial costumam ser as mais danosas – os juros bateram 475,2% e 321,1% ao ano, respectivamente, em agosto.

pagar-dividas-familia

4. Descubra o quanto você pode pagar por mês

Aqui, será fundamental ter total controle do orçamento familiar – se você ainda não tem, volte ao passo 1. Com esses dados em mãos, observe como encaixar o pagamento da dívida dentro dessa planilha e quais gastos podem ser cortados para tal. Você só pode comprometer até 30% da renda familiar para sair do endividamento. Imagine que pode ocorrer algum imprevisto que a fará gastar mais do que o comum. Se uma fatia muito grande da renda já estiver comprometida, você poderá se endividar novamente para cobrir o gasto inesperado – o que tende a aumentar o descontrole financeiro.

5. Renegocie com o credor

Agora que você sabe o quanto poderá dedicar ao pagamento, leve isso ao credor e negocie. Assim, vocês poderão montar um plano para encaixar a dívida nessa fatia reservada à tarefa. Pode ser que você consiga renegociar desde o tamanho da dívida até a taxa de juros. O importante é sentar e conversar.

6. Troque uma dívida cara por uma barata

Lembra que dissemos que algumas dívidas têm taxas de juros maiores? Se você caiu em uma dessas, uma ótima estratégia é contratar um crédito com taxas menores para quitá-la. Por exemplo, você pode solicitar um empréstimo pessoal para se livrar do déficit do cartão de crédito. Como a taxa do empréstimo pessoal é menor, essa dívida crescerá mais devagar, logo, será mais fácil de ser quitada.

7. Como não se endividar novamente

Depois de pagar as dívidas da família, tenha disciplina para não cair mais nessa. A planilha de orçamento familiar será útil nessa tarefa.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close