Como responder as conversinhas de elevador na empresa sem ser grossa

Como responder as conversinhas de elevador na empresa sem ser grossa

A desconfortável conversinha de elevador é algo enraizado na rotina das empresas. Sim, ela pode acontecer na copa, nos corredores e até na porta da empresa, mas as quatro paredes sequer lhe permitem fugir da situação. Dois minutos viram uma eternidade – ainda mais quando a outra pessoa não para de disparar perguntas mornas para abafar o silêncio constrangedor. A boa notícia é que há um jeito de se esquivar sem abalar as relações profissionais. Reunimos as frases mais usadas para puxar conversa e como você pode respondê-las educadamente – as dicas são do site The Everygirl.

1. O tempo/trânsito está _____, né?

Essa é a frase campeã quando o assunto é tentar iniciar um diálogo. Pode ser que a conversa deslanche ou que esse seja o único tópico abordado nestes longos dois minutos. Calma, você vai sobreviver!

Responda: “Ah, sim, está ótimo/péssimo!”.

2. Tudo bem?

Essa é uma expressão tão comum que acabou banalizada. Muitas vezes, a pessoa faz a pergunta e, quando você começa a responder, ela já não está nem prestando atenção. Pode não parecer, mas ela é uma verdadeira pegadinha, pois um “estou bem” curto e grosso pode ser indelicado, enquanto abrir o coração e dizer o que você realmente está sentindo pode assustar a pessoa.

Responda: “Estou bem! Um pouco cansada, pois estou em um projeto bem grande, mas bem. E você?” – ou qualquer coisa do tipo, desde que você possa desenvolver um assunto. Dê a oportunidade para que o interlocutor também diga como está, afinal, o objetivo aqui é ser educada, lembra?

conversinha-elevador-empresa

3. Você namora/é casada?

Essa pode ser tanto uma pergunta inofensiva quanto uma tentativa de aproximação de algum engraçadinho, então, todo cuidado é pouco. Se você está em um relacionamento feliz, responder um “sim” será tranquilo. Mas e se você acabou de sair de um relacionamento conturbado ou está há tanto tempo solteira que não aguenta mais responder essa pergunta?

Responda: “Felizmente, estou bem com minha vida do jeito que ela está. Obrigada por perguntar!”

4. Quando ele vai te pedir em casamento?

Quando você pensa que as pessoas não podem ser menos invasivas, essa pergunta surge. Então, se na pergunta anterior você respondeu que está namorando, prepare-se, pois é possível que essa venha na sequência. Talvez a pessoa não perceba como pode estar lhe colocando em maus lençóis, pois ou você pode não ligar para isso – e se sentir pressionada com a pergunta – ou estar morrendo de vontade de se casar – e acabar chateada. Além disso, e se você quiser pedir seu amor em casamento?

Responda: “Estamos curtindo o momento”, “Eventualmente” ou “Ainda não sei o que pensar sobre isso”.

5. Em quem você votou?

Alerta de armadilha! Não responda diretamente se você não estiver pronta para ter uma conversa madura com alguém que pode ter uma perspectiva diferente da sua. Aliás, sempre considere a possibilidade de seu interlocutor não ter a mente aberta para uma discussão tranquila.

Responda: “Votar é muito importante, mas agora que as eleições passaram, estou focada em _____. E você?”

6. E aí, algum plano para esse fim de semana?

Temos aqui mais um exemplo de pergunta aparentemente inofensiva, mas que pode ser gatilho para uma chateação. A boa notícia é que qualquer programa pode parecer um grande evento, dependendo de sua entonação – até mesmo não fazer nada.

Responda: “Vou aproveitar para descansar” – se você realmente não for fazer nada –, “Colocar as séries em dia no Netflix” etc.

7. Quando você vai ter filhos?

Mais do que um assunto extremamente pessoal, essa é uma decisão que mudará sua vida. Porém, acredite: algumas pessoas realmente acham que isso é uma conversinha corriqueira.

Responda: “Nossa, essa é uma pergunta bem pessoal, você não acha?”. Faça contato visual durante o silêncio desconcertante que seguirá e, então, mude o assunto para o que você bem entender. Seu corpo, suas regras.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Ana Paula de Araujo

Ana Paula de Araujo

Repórter, produz o conteúdo multimídia do Finanças Femininas e é fã da Mulher Maravilha. Divide a vida de jornalista com a de musicista e tenta ajudar o máximo de pessoas nas duas profissões.
Fale comigo! :) anapaula@financasfemininas.com.br

close