Como usar a mesada para dar educação financeira

Como usar a mesada para dar educação financeira

*Post patrocinado pela Caixa Seguradora

Assim como qualquer adulto fica feliz quando chega o dia de receber o salário, toda criança ou adolescente abre um largo sorriso quando chega a data de ganhar a mesada. O dinheiro pode ser um instrumento importante de aprendizado para as crianças – os primeiros passos para que a educação financeira seja parte de toda a vida.

Na verdade, o ideal é que os pais e os pequenos não encarem essa quantia mensal somente como uma forma de custear só o que é bom, como brinquedos e guloseimas. A mesada também deve ser usada como forma de arcar com as responsabilidades do cotidiano. A seguir, listamos algumas dicas que podem dar mais sentido à mesada que você dá ao seu filho.

O valor das moedas

No início da infância, as noções sobre dinheiro devem acontecer aos poucos – a criança leva um tempo para entender o valor do dinheiro e a ter noções sobre organização. Sendo assim, nos primeiros anos, vale a pena dar a eles algumas moedas com periodicidade, para que guardem em um cofrinho. Aqui, o mais importante não é o valor, é fazer com que elas assimilem o tempo de espera para receber o dinheiro, entender que não podem ter as moedas sempre que pedirem.

Estabelecendo responsabilidades

O dinheiro não deve servir apenas para arcar com as delícias da vida. Quando a criança já tiver noções básicas de matemática e conseguir assimilar o valor do dinheiro, o ideal é que a mesada seja usada para pagar itens que fazem parte da rotina: reposição de material escolar, lanche na cantina, se a criança já tiver celular, o dinheiro pode ser usado para colocar crédito ou pagar a conta.

Se a criança estiver ansiosa para ter um brinquedo antes da chegada de uma data comemorativa, vale a pena incentivá-la a poupar a mesada para a compra daquilo que deseja. É o meio mais fácil dela começar a assimilar a importância de aprender a economizar e formar reservas.

Não associe dinheiro a bom comportamento 

Dinheiro não deve ser encarado como recompensa – pelo menos não durante a fase de aprendizado. Não é aconselhável que a criança associe bom comportamento a dinheiro. Atitudes como escovar os dentes periodicamente, alimentar-se bem e não dar respostas malcriadas aos mais velhos devem surgir por princípios, não por recompensa.

Com essas pequenas lições, as crianças aprendem hoje como cuidar bem do próprio dinheiro na vida adulta. Que tal começar hoje mesmo a preparar um futuro mais tranquilo para seus filhos?

Foto: Istock

*Acompanhe mais Dicas de DinDin em nossa página do Facebook.

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close