Compras de Natal: Existem parcelas sem juros?

Compras de Natal: Existem parcelas sem juros?

*Luiz Correias Martins Pereira

É muito comum, quando vamos pagar por algum bem ou serviço, que ofereçam a possibilidade de se parcelar o pagamento sem juros, mas, como não existe almoço de graça, é preciso que a leitora entenda que existe um custo financeiro e os juros estão embutidos no valor da compra. Por isso, sempre tente negociar um desconto com pagamento à vista ou com um número menor de parcelas.

Caso o desconto não seja possível, pode ser interessante deixar o dinheiro aplicado, quando for o caso, e pagar em prestações, mas isso se você for uma pessoa que tem o controle das suas finanças.

Você também pode gostar:
Conquistando sonhos: a importância do planejamento financeiro
Usando o 13º salário com consciência
O papel do planejador financeiro

Quero chamar a atenção para um aspecto relevante. Se você não faz um planejamento financeiro e não tem um bom controle do seu orçamento, as compras parceladas, além de um estímulo para o consumo, podem leva-la a um descontrole financeiro com consequências nefastas. Se você é daquelas que em vez de se programar, faz compras pensando que a parcela “cabe no bolso”, fazendo apenas contas mentais, cuidado! Esse é um recurso, que, apesar de nos dar uma visão geral, é impreciso.

>> Baixe aqui a nossa planilha amiga de orçamento!

Quer um exemplo? Você acabou de comprar um eletrodoméstico em 10 vezes sem juros, pois chega à conclusão de que as parcelas “cabem no seu salário” e que ainda tem uma folga financeira, mas, será que está levando em consideração outras parcelas de compras anteriores e despesas recorrentes como as contas de água, luz, gasolina, condomínio, estacionamento, entre outras? E a reserva para eventuais emergências futuras não programadas?  Você está considerando o efeito da inflação no seu orçamento? O problema é que geralmente tudo isso fica de fora da nossa contabilidade mental.

compras-parceladas

Continue a ler a matéria na próxima página!

Infelizmente, é muito comum vermos pessoas perderem completamente o controle financeiro, lançando mão de recursos como cheque especial ou crédito rotativo do cartão de crédito, o que definitivamente é uma péssima opção. Estamos falando de uma taxa em torno de 270% para o primeiro e de 400% para o cartão de crédito, por ano. Os números falam por si!

Como podemos perceber, as compras a prazo sem juros podem se tornar uma bola de neve com custo astronômico. Não é momento para aventuras e nem gastos desnecessários que comprometam sua vida financeira. Quem já passou por isso sabe o tamanho do estresse, inclusive com reflexos na saúde física e emocional. Para evitar que isso ocorra, tome controle da sua vida financeira.

É fundamental que se faça um orçamento, só assim você terá a real dimensão do quanto dispõe para poder se programar e fazer frente à suas obrigações financeiras e necessidades de consumo. Tenha uma reserva de emergência. Priorize suas necessidades e cuidado com as compras por impulso. Com a queda nas vendas, quem está com dinheiro para comprar à vista consegue bons descontos, só não vale sair comprando tudo que vê pela frente porque acha está barato.

* Luiz Correias Martins Pereira, CFP® é planejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner) concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF). As respostas refletem as opiniões do autor, e não do Finanças Femininas ou do IBCPF. O site e o IBCPF não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Este conteúdo foi útil para você?

IBCPF

IBCPF

Planejamento Financeiro

close