Confira como ficam alguns gastos com o crédito mais caro

Confira como ficam alguns gastos com o crédito mais caro

O aumento dos impostos anunciado no início da semana pegou muita gente de surpresa, principalmente quando o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tocou no ponto que afeta o crédito. A partir de hoje, o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) fica mais caro nas operações de pessoa física, passou de 1,5% ao ano para 3% a. a.. Vale ressaltar que o aumento será aplicado para operações de no máximo um ano. Ou seja, se você financiar um carro em 12 meses, será aplicada a nova alíquota. No caso de um financiamento superior a um ano, fica valendo a alíquota antiga. O percentual de 0,38% cobrado em cada operação foi mantido, independente de prazo.

Como as operações de crédito permeiam a nossa vida de formas variadas, é válido observar alguns exemplos do impacto deste aumento. Sendo assim, trazemos algumas simulações elaboradas pelo diretor executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), Miguel José Ribeiro de Oliveira.

Geladeira

Contexto: Financiamento de uma geladeira no comércio em 12 meses no valor de R$ 1.500,00 com taxa de juros de 4,85% ao mês

Com IOF antigo: a consumidora pagaria 12 parcelas mensais de R$ 170,96, totalizando R$ 2.051,52.

Com IOF atual: a consumidora vai pagar 12 parcelas mensais de R$ 173,48, totalizando R$ 2.081,76.

Diferença: R$ 2,52 por parcela, ou seja, R$ 30,24 no total do financiamento.

Cheque especial

Contexto: Utilização do limite de cheque especial por 20 dias no mês no valor de R$ 5.000,00, com taxa de juros de 8,92% ao mês

Com IOF antigo: a consumidora pagaria R$ 350,58 (juros + IOF)

Com IOF atual: a consumidora paga R$ 355,09 (juros + IOF)

Diferença: O novo imposto acarreta em um aumento de R$ 4,51 por mês.

Cartão de crédito

Contexto: Utilização do rotativo do cartão no valor de R$ 3.000,00 com taxas de juros de 11,22% ao mês

Com IOF antigo: a consumidora pagaria R$ 351,69 (juros + IOF).

Com IOF atual: a consumidora passa a pagar R$ 355,58 (juros + IOF).

Diferença: O novo imposto implica em um aumento de R$ 3,69 no valor mensal a pagar.

IOF_mais_caro

Empréstimo pessoal em banco

Contexto: Empréstimo em 12 meses no valor de R$ 4.000,00 com juros de 3,61% ao mês.

Com IOF antigo: a consumidora pagaria 12 parcelas mensais de R$ 424,45, totalizando R$ 5.093,40.

Com IOF atual: a consumidora passa a pagar R$ 430,70 por mês, totalizando R$ 5.168,40.

Diferença: Aumento de R$ 6,25 na prestação e de R$ 75,00 no valor final.

Empréstimo pessoal em financeira

Contexto: Empréstimo em 12 meses no valor de R$ 2.000,00 com juros de 7,34% ao mês.

Com IOF antigo: a consumidora pagaria 12 parcelas por mês de R$ 261,21, totalizando R$ 3.134,52.

Com o IOF atual: a consumidora passa a pagar 12 parcelas de R$ 265,05, totalizando R$ 3.180,60.

Diferença: Elevação de R$ 3,84 na prestação e de R$ 46,08 no total do financiamento.

*Financiamento de carro

Contexto: Financiamento em 12 meses no valor de R$ 25.000,00 com taxa de juros de 1,84% ao mês.

Com IOF antigo: a consumidora pagaria 12 parcelas mensais de R$ 2.384,83, totalizando R$ 28.617,96.

Com IOF atual: a consumidora passa a pagar R$ 2.419,84, totalizando R$ 29.039,28.

Diferença: Elevação de R$ 35,11 nas parcelas e R$ 421,32 no valor total.

* Para financiamentos acima de um ano não há alteração de valores porque a operação é feita com base no IOF antigo, de 1,5%.

Com essas simulações em mãos, dá para ter uma ideia de como a mudança vai afetar sua vida. Quando for avaliar um empréstimo, procure as opções que ofereçam melhores condições de juros, tendo em vista que agora é preciso também arcar com este gasto adicional. Evite usar o cartão de crédito desnecessariamente e, claro, nem pense em cair nas ciladas do rotativo e do cheque especial, que possuem as taxas de juros mais altas.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close