Filhos: Como ensinar o que o dinheiro não compra

Filhos: Como ensinar o que o dinheiro não compra

Olá, meninas! Em um momento em que vivemos uma série de frustrações sociais e políticas, Luciana Cattony, do Real Maternidade, traz para nós uma reflexão sobre como é importante falar de empatia com nossos filhos. 

Certo dia, conversando com uma querida amiga sobre as delícias e desafios da maternidade, concordamos sem hesitar que a empatia, a capacidade de se colocar no lugar do outro, é uma das mais belas virtudes do ser humano. E que se a gente não tinha o costume de praticá-la, com a maternidade somos obrigados a vivenciá-la em profunda intensidade.

Afinal, como conseguir vencer os choros dos bebês na madrugada quando estamos “podres” de cansaço e cheias de sono? Quando a gente se coloca no lugar daquele serzinho frágil e indefeso, as coisas acontecem mais facilmente, surgem forças que sequer imaginávamos e o amor se reforça a cada momento. Pensando assim, a empatia deveria ser capacidade obrigatória em todos os momentos de nossas vidas; na maternidade, na convivência com familiares, amigos, colegas de trabalho e com todos que cruzam o nosso caminho.

empatia-filhos

Em tempos de angústias políticas e injustiças, em que todos clamam por um mundo melhor, é importante a consciência de que a mudança que almejamos é possível e começa dentro de casa. Então, que tal fazer com que nossos pequenos, desde cedo, desenvolvam empatia pelos outros? Ela minimiza conflitos, gera compreensão, socialização e colaboração. Um santo remédio para você, para mim e para a humanidade!

Se a professora chamou atenção do seu filho, converse com ele sobre a causa dessa atitude e principalmente sobre o que seu filho faria se ele fosse a professora, desafiada pelo aluno com uma atitude semelhante. O pequeno não quer emprestar o brinquedo para o coleguinha? Ao invés de somente falar que isso é errado, converse com ele e faça-o encarar a situação pelos olhos desse coleguinha, sobre como seria desagradável e frustrante se seu filho quisesse brincar com o brinquedo e fosse proibido pelo amigo. Faça-o exercitar a capacidade de entender o que a outra pessoa está sentindo. Isso pode ser feito considerando as situações reais e imaginárias, como as estorinhas ou desenhos animados.

A empatia amplia a perspectiva da criança, desenvolve seus sentimentos e contribui para atitudes positivas e melhora do comportamento; o que significa um mundo melhor dentro e fora de casa. Bora começar o exercício?

 

Crédito das fotos: Shutterstock

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Luciana Cattony

Luciana Cattony

Real Maternidade

close