Dia das Mães: tenha cuidado com as compras

Dia das Mães: tenha cuidado com as compras

Principal data comercial do primeiro semestre, o Dia das Mães tem importante papel na movimentação das vendas no País. Na hora de pesquisar produtos, visitar as lojas e escolher os presentes, é preciso cuidado por parte da consumidora para não acabar se atrapalhando com os gastos extras. Confira, então, algumas dicas para ajudá-la a evitar os impulsos e também prevenir dores de cabeça com os produtos adquiridos.

Antes das compras:

Vá às compras com um valor máximo em mente

Leitura complementar

Planilha de Orçamento Familiar

Planilha de Orçamento Familiar

Ver mais

Não importa se você prefere fazer as suas compras em lojas virtuais ou físicas: é fundamental que você comece a busca com o valor do presente já estipulado. Para isso, é preciso inicialmente estudar o orçamento e descobrir quanto tem disponível para aquelas compras, sem prejudicar as outras contas do mês.

Pesquise preços

Antes de comprar um produto na primeira loja que encontrar, é sempre importante fazer uma pesquisa de preços no mercado. Para isso, você pode visitar algumas lojas ou sites e também utilizar ferramentas de comparação de preços, como o Buscapé, Zoom ou Google Shopping. Conhecendo os valores e condições de pagamento oferecidas por algumas lojas, será mais fácil garantir um bom negócio, inclusive barganhando na loja de sua preferência.

Na hora das compras:

Evite as compras extras

Enquanto você pesquisa um presente, é normal que muitos outros itens acabem chamando a sua atenção. Para evitar que leve produtos a mais – para você mesma ou outro membro da família, por exemplo -, é preciso que haja disciplina. Ir às compras com um objetivo em mente pode ajudá-la a evitar os impulsos. Outra dica é sempre deixar o ambiente de compra por algumas horas ou dias, para ter certeza de que realmente quer aquilo.

Verifique a política de trocas

Imagine que você deu um presente que não serviu ou agradou à sua mãe. Muita gente não sabe, mas os estabelecimentos comerciais não são obrigados a realizar a troca, exceto se houver um defeito. “Muitas lojas permitem a troca como forma de fidelizar o cliente, mas é preciso ficar atenta às regras”, explica o advogado e especialista em direito do consumidor, Sérgio Tannuri. Por isso, antes de fechar a compra, pergunte se há essa opção e quais são as condições. Se não houver uma política definida, peça essa informação por escrito.

compras_dia_das_maes_interna

Cuidado com o parcelamento

“As compras devem ser um prazer e não um arrependimento. E, nesse sentido, os parcelamentos podem ser uma armadilha”, orienta Tannuri. Para evitar esses problemas, fique sempre de olho no valor total pago pelo produto e na taxa de juros cobrada.

Exerça o direito à informação

Um dos principais direitos do consumidor é o de obter informação plena. Ele estipula que, na hora de comprar um produto, a pessoa deve receber informações detalhadas sobre o que está comprando, de quem e sob quais condições. Nesse sentido, opções de pagamento, frete e dados do vendedor, por exemplo, devem ser fornecidos. “Se um produto em promoção apresentar qualquer tipo de defeito, por exemplo, isso deve ser comunicado ao consumidor antes da compra”, explica o advogado.

Depois das compras:

Lembre-se do direito ao arrependimento

Comprou um produto pela internet, correio ou telefone e ficou com um pé atrás depois de fechar o negócio? Quem faz compras fora do estabelecimento comercial conta com um direito extra: o direito de arrependimento. Ele estabelece um prazo de sete dias após o fechamento do contrato ou recebimento do produto para que o consumidor devolva a mercadoria e receba seu dinheiro de volta.

Fique de olho na garantia

Se depois da compra você encontrar algum defeito no produto, o prazo de garantia é de 30 dias para itens não-duráveis, como alimentos, e 90 dias para os duráveis, como eletrodomésticos e carros. “Nesse caso, é muito importante que a consumidora tenha guardado a nota fiscal”, orienta Tannuri.

Depois da notificação do defeito, o vendedor tem até 30 dias para resolver o problema. Após esse período, é possível escolher entre a substituição do produto, a devolução da quantia em dinheiro ou o abatimento proporcional no preço. Se o produto for considerado essencial, como uma geladeira, a troca deve ser imediata.

 

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close