Dicas para não passar sufoco na Imigração

Dicas para não passar sufoco na Imigração

*Vanessa Macagnan

Pode ser sua primeira ou centésima viagem internacional, mas provavelmente alguma vez você sentiu um friozinho na barriga quando se dirigiu à Imigração do país destino, principalmente se seu inglês anda um pouco enferrujado. Acertei?

Eu já tive experiências super tranquilas, nas quais a pessoa simplesmente carimbou meu passaporte sem perguntar nada. Houve uma situação bem chata em Frankfurt,  Alemanha, quando fiz conexão para Paris. Eu viajava sozinha e encontraria meu amigo já na França. O tempo de conexão era super curto, logo, assim que saí do avião e vi as atendentes da companhia aérea, perguntei se sabiam para qual portão de embarque eu deveria me dirigir.

Você também pode gostar:
Sete destinos baratos para viajar (mesmo durante a crise)
Vale a pena fazer excursão?
Conheça o verdadeiro valor do dólar para viagens internacionais

Um policial alemão “encasquetou” comigo, me fez mil perguntas, queria saber por que eu estava viajando sozinha, o que eu fazia da vida, olhou e revirou meu passaporte diversas vezes, comecei a ficar nervosa. Parecia que ele estava brincando comigo, sabe? E eu, sem entender o que estava acontecendo, comentei que estava viajando a lazer, que era Carnaval no Brasil e na mesma hora ele foi confirmar a informação com a funcionária brasileira da companhia aérea. Mostrei o crachá da empresa em que trabalhava, ele deu um sorrisinho e me liberou. Enfim, acho que ele me “pegou para Cristo”, parecia mesmo que estava se divertindo com a situação. Para te prevenir de qualquer enrosco, seguem algumas dicas para passar tranquilamente pela Imigração.

Perguntas mais comuns:

– O que você veio fazer aqui?
– Quanto tempo vai ficar?
– Onde ficará hospedada?
– Você trabalha no Brasil?

Tenha as respostas dessas perguntas em mente quando estiver na Imigração, e responda apenas o que for perguntado, de forma clara e breve!

Eu sempre respondi tudo em inglês. Se o seu estiver enferrujado, diga que não fala o idioma – já aconteceu com um amigo meu e os agentes o encaminharam a um funcionário que falava espanhol, o que facilitou bastante todo o processo.

Não necessariamente o agente te fará essas perguntas. Eu realmente nem sei se existe uma regra, se é aleatório, se eles “capricham” nas perguntas de quem parece mais nervoso…de qualquer forma, pense: “Estou indo viajar a lazer, não estou fazendo nada de errado”, correto? Foque nisso e vá tranquila.

imigracao1000 Words/Shutterstock

Continue a ler a matéria na próxima página!

Para facilitar tanto a minha organização como a busca, caso perguntem alguma coisa, eu sempre levo na bagagem de mão uma pastinha com os seguintes documentos:

– Passaporte (depois do episódio na Alemanha, saiu meu passaporte italiano. Se vou à Europa, o levo junto – nunca mais fui questionada sobre nada!);
– Passagem de volta: se você ainda não tem a passagem de volta, é bom que tenha uma ótima explicação. A não ser que você seja cidadã europeia e esteja indo para um país da UE – neste caso, você tem todo o direito de ficar o tempo que quiser;
– Hospedagem: uma pergunta comum é onde você se hospedará. Se for em hotel/hostel, leve as reservas. Se for na casa de um amigo, peça para ele te enviar uma “Carta Convite”. Pode ser um email em inglês ou no idioma do país que você visitará dizendo que ele te hospedará em determinado período;
– Estudos: se você estiver indo estudar, leve o comprovante de matrícula;
– Trabalho: fique atenta – nos Estados Unidos você precisa do visto de trabalho. Leve também uma carta da empresa dizendo o período que você ficará no país a trabalho;
– Dinheiro:  é possível também que te perguntem quanto você está levando em dinheiro. Além do papel moeda que estiver carregando, você pode mostrar um extrato do seu limite de crédito no cartão (leve impresso). Sinceramente, acho difícil perguntarem, mas já soube de pessoas que foram questionadas;
– Crachá da empresa: engraçado que naquele episódio que o policial alemão encasquetou comigo foi a única ocasião em que levei o crachá da empresa, pois tinha lido em algum lugar e gostei da dica. O crachá nada mais é do que um “comprovante” de vínculo empregatício que você tem no Brasil (afinal, quando você sai de uma empresa, logo pegam o seu crachá de volta, certo?).

No mais, vá tranquila, sem aquela feição tensa de “O que será que vão me perguntar?”. Como comentei, muitas vezes só olham e carimbam seu passaporte. Vá com tudo em mãos, as principais respostas na ponta da língua e não fale demais.

Você tem alguma história engraçada (ou mesmo tensa) que passou na Imigração? Compartilhe com a gente!!

*A administradora e idealizadora do blog Ciao Viaggio, Vanessa Macagnan, traz sugestões de destinos e roteiros nacionais e ao redor do mundo que valem a pena ser visitados, além de boas dicas de como colocar o pé na estrada gastando pouco. Siga-a no Instagram (@ciaoviaggio) e facebook

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Vanessa Macagnan

Vanessa Macagnan

Viajante econômica

close