É possível reformar a casa com crédito do FGTS?

É possível reformar a casa com crédito do FGTS?

Trabalhadoras que estejam sob regime CLT têm mais um benefício além do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Desde novembro de 2012, todo mundo com carteira assinada pode utilizar recursos do FGTS para comprar materiais de construção para reformar sua casa.

O financiamento chamado Fimac FGTS só pode ser usado para construir, fazer uma reforma ou ampliar a casa. E também pode pagar a construção de um hidrômetro, de um sistema de aquecimento solar, além de projetos que contribuam para a acessibilidade da casa, sustentabilidade e preservação do meio ambiente.

Apesar de qualquer beneficiário do FGTS ter o direito, alguns grupos serão priorizados. Entre eles estão: famílias com renda baixa com imóveis avaliados com um preço menor, idosos, deficientes ou mulheres chefes de família. Portanto, mulherada, esse é para nós!

O valor máximo de utilização é de R$ 20 mil, com juros de 12% ao ano. E para conseguir o dinheiro, é preciso ter conta no FGTS, mas a casa deve valer menos de R$ 500 mil para conseguir o empréstimo. O pagamento deve ser feito em até 10 anos (120 meses).

De todo o Brasil, a maior concentração de uso deste tipo de financiamento está na região Sudeste, com 42,5%. O interesse surge por conta dos juros relativamente baixos: se você for comparar com a média do mercado, pode encontrar  juros de até 30% ao ano na compra do material. Mas fique esperta: a taxa básica de juros da economia, a Selic, está atualmente em 7,5%. Portanto, veja se não consegue alguma outra fonte de financiamento que seja mais barata.

Para conseguir, é só ir até uma agência da Caixa Econômica Federal, com um comprovante do imóvel e regularização da área que vai construir. Fique atenta, para obter o empréstimo você precisa ter feito no mínimo três anos de contribuição e ter saldo de no mínimo 10% do valor total do imóvel. Perde o direito quem tiver outro financiamento habitacional.

O que é FGTS?
Desde 1967 trabalhadores sob regime CLT (Consolidação de Leis de Trabalho), trabalhadores rurais, temporários, avulsos, safreiros e atletas profissionais têm direito ao FGTS.

O dinheiro é acumulado pelo próprio empregador, que coloca 8% do salário bruto num fundo. É um benefício que as empresas e empregadores garantem aos seus funcionários e só pode ser retirado por demissão sem justa causa, aposentadoria ou morte; compra de um imóvel; desempregados e sem carteira assinada a mais de três anos; doença grave (como câncer, AIDS) ou terminal e pessoas com mais de 70 anos.

Ficou com alguma dúvida?

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close