“Educação financeira me ajudou a recomeçar a vida”

“Educação financeira me ajudou a recomeçar a vida”

Ter uma relação harmoniosa com o dinheiro é importante não só para ficar livre de dívidas. Independência financeira é a chave para retomada de um baque forte na vida. A empresária Maria Silva* foi vítima de violência doméstica e conta como o controle financeiro a ajudou a dar a volta por cima.

Olá, meu nome é Maria, sou uma empresária recomeçando a vida, passando por altos e baixos como qualquer outra pessoa.

Comecei a trabalhar em 2006, com 19 anos, em uma multinacional em Piracicaba, no interior de São Paulo.  Como todo jovem que começa a trabalhar, tive o deslumbre de ter um salário e gastar tudo o que recebia, pois tinha pouco conhecimento sobre controle financeiro. Tive uma avó maravilhosa que me aconselhou sobre dinheiro, pois tudo o que eu recebia, gastava. Eu não tinha controle algum, mas também não utilizava cartão de crédito e nem fazia empréstimos porque morria de medo do endividamento.

Segui o conselho dela e procurei me informar sobre diversos investimentos. Li vários livros, sites, jornais e a partir daí comecei a me interessar pelo assunto. Descobri que para se ter algo grandioso é necessário fazer certos sacrifícios. Eles me proporcionaram grandes conquistas, como ter meu primeiro carro, comprar meu primeiro notebook, celular de última geração – gastos estes que eram totalmente planejados e investimentos que eu continuava mantendo mensalmente para realizar meus sonhos.

Em 2010 minha vida virou de pernas para o ar. Na época, casei com uma pessoa que não tinha controle algum dos gastos, gastava mais do que recebia, não aceitava críticas sobre os gastos excessivos e gastava até mais do que o salário que eu ganhava. Mesmo quando eu o alertava sobre a situação, ele não aceitava ter um controle financeiro, alegando que trabalhava e que tinha o direito de gastar com o que quisesse. Com as dívidas, a vida financeira dos dois foi para o fundo do poço.

Nem preciso falar que meu casamento começou a se deteriorar em função dos problemas financeiros. Em 2013 veio o divórcio, durante o processo fui vítima de violência doméstica. Ele tentou tirar a minha vida alegando que eu só sairia de casa se fosse morta. Devido a essa violência sofrida, passei meses trancada em casa, em depressão profunda a ponto de não querer mais sair da cama. Com a ajuda de amigos, vizinhos, e hoje do meu atual marido,  tive forças para recomeçar minha vida – serei eternamente grata a eles por este apoio. Retomei  o controle da situação e mesmo tendo ficado com uma dívida de mais de R$100 mil em meu nome, graças ao conhecimento que adquiri no começo da minha carreira e com a leitura de livros, consultoria financeira, sites, vídeos e tudo o que ensinavam sobre finanças pessoais, estou conseguindo recuperar a minha vida financeira. Hoje falta muito pouco para quitar esse valor.

Se eu pudesse aconselhar a todos, com certeza meu conselho seria: aprenda sobre finanças pessoais, pois foi por meio deste conhecimento que consegui dar a volta por cima e recomeçar de onde caí.

Abraços,

Maria.

*Nome fictício para preservar a identidade da dona do depoimento.

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Fotos: Shutterstock

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close