Eleição de Donald Trump nos EUA: como ela afeta sua vida

Eleição de Donald Trump nos EUA: como ela afeta sua vida

Contrariando todas as expectativas, o republicano Donald Trump foi eleito como o novo presidente dos Estados Unidos. Sua trajetória cheia de declarações polêmicas contra mulheres, latinos, muçulmanos e LGBT+, acusações de abuso sexual, dentre outros ultrajes, foram suficientes para boa parte do planeta amargar a vitória do candidato. Contudo, além das questões humanitárias, ela também afeta as economias do mundo inteiro – inclusive a nossa. E isso mexe com o seu bolso.

O motivo para tamanho baque é a forte política protecionista de Trump, que deixaria a economia americana mais fechada para os produtos brasileiros. Hoje, o Brasil é o segundo maior parceiro comercial dos EUA, perdendo apenas para a China. Soma-se a isso o fato de o magnata ser extremamente imprevisível. O resultado foi o aumento da volatilidade do mercado financeiro, elevando a tendência de os investidores estrangeiros tirarem investimentos do País. Com menos recursos rodando por aqui, o preço do dólar dispara e o real desvaloriza.

E o seu bolso?

Dólar valorizado é sinônimo de aumento na inflação. Ou seja, os preços vão subir – e isso influencia todas as classes sociais. Isso diminuiria o poder de compra, o que também não seria nada bom para a economia. A consultoria Euromonitor estimou que a eleição de Trump faria o crescimento da economia brasileira cair de 0,97% para 0,49% em 2017 e de 1,83% para 1,53% em 2018. A alta na inflação também pode levar o Banco Central a tomar medidas mais conservadoras, como manter a taxa de juros alta, para tentar conter o dragão.

eleicoes-trump-economia-brasileira

Capa da autobiografia de Donald Trump em lançamento na Alemanha

Fique de olho se você tem investimentos, seja na Bolsa ou em renda fixa. “De forma mais imediata, para quem tem carteira de ações, creio que teremos sentimentos mistos. Trump prejudicará a economia como um todo, mas alguns investidores podem entender que, por ele ser empresário, irá privilegiar o ambiente corporativo”, diz o economista Silvio Paixão, da Faculdade Fipecafi. No quesito emprego, a preocupação fica para quem trabalha em setores que dependem do mercado externo, como o setor de importações.

Sobre imigrações, Trump fez poucas menções sobre o sistema de concessão de vistos dos EUA. Porém, o discurso incisivo contra latinos – ele chamou brasileiros de “porcos latinos” e prometeu construir um muro que separa os Estados Unidos do México – não aponta boas notícias para imigrantes em geral.

Se você viajará no começo do ano e já tem dinheiro em caixa, a recomendação da Ourominas, empresa que atua no segmento de ouro e câmbio, é antecipar as compras de dólar. “A moeda, que teve alta de 2,4% nas primeiras horas do dia seguinte às eleições norte-americanas, já recuou um pouco, mas a tendência é o dólar se valorizar moderadamente até que Trump mostre o que colocará em prática das propostas de campanha”, diz Mauriciano Cavalcante, diretor de câmbio da companhia. Além disso, o Fed (banco central norte-americano) pode elevar a taxa de juros em meados de dezembro. Isso causaria uma evasão de dólar no Brasil e, consequentemente, o preço do dólar vai lá para cima. “Para se prevenir dessa possibilidade, recomendo a compra semanal do dólar, de maneira fragmentada, para se obter uma taxa média, até o início de dezembro”, aconselha.

Por outro lado…

Nem todos estão apostando nesse cenário complicado. É o caso de Silvio Paixão. Para ele, ainda não é momento de uma virada de expectativas, especialmente porque a recuperação econômica brasileira continua cheia de incógnitas. “Não acredito que Trump fará a sandice de mexer no relacionamento comercial com outros países. Uma coisa é o candidato, outra é o eleito”, pondera ele, que reitera que o republicano é extremamente imprevisível, dificultando uma projeção concreta. “O mar ficará bastante agitado até o dia da posse, pois até lá não saberemos qual será sua equipe econômica e como ele se pronunciará enquanto presidente empossado”, completa.

*Matéria atualizada em 09/11 às 14h46.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close