Empresas que incentivam a presença feminina no setor de TI

Empresas que incentivam a presença feminina no setor de TI

Assuntos sobre Tecnologia da Informação, ainda hoje, são associados a profissionais do sexo masculino. Composto, em sua maior parte, por engenheiros, esse setor é muitas vezes considerado hostil para mulheres.

Para conseguirmos visualizar a disparidade da participação entre homens e mulheres no setor de TI, podemos observar as companhias do ranking S&P 100, que lista as maiores empresas do mundo, produzido pela agência de risco Standard & Poor’s. Apenas 20% das companhias do ranking têm, ao menos, uma diretora. O mesmo acontece no Vale do Silício, mas com apenas 10% das empresas. No Facebook, somente 31% dos funcionários são mulheres; na Apple e no Twitter, apenas 30%. Já para novos negócios, dados da Harvard Business School revelam que os aportes financeiros feitos em startups lideradas por mulheres, são de apenas 10%.

Nesse cenário, existem diversas iniciativas de empresas – de tecnologia ou não – que incentivam a participação feminina no mercado na tentativa de reverter essa situação. Exemplo disso é a HP, que além de incentivar a formação de mulheres no setor de TI, criou políticas internas para assegurar que em áreas técnicas, 30% das novas admissões sejam de mulheres. Outro caso é a gigante IBM, que criou o evento “Movimento Empoderamento da Mulher em Tecnologia”, com grandes nomes femininos do mercado de TI para discutir tendências e a carreira das mulheres no setor. A empresa também se conecta a universidades brasileiras para incentivar a presença de mulheres em cursos do ramo.

mulheres-setor-ti-love-mondays

A desigualdade entre homens e mulheres no setor de Tecnologia da Informação também motivou a criação do blog “Mulheres na Computação”, que aborda desafios, tendências e iniciativas em prol da crescente presença feminina no mercado de TI. O blog, que conta com mais de 150 mil membros, serve de inspiração a estudantes e profissionais da área para que não desistam diante as dificuldades ou preconceitos, como a diferença salarial – profissionais de tecnologia do sexo feminino ganham 30% a menos do que o sexo masculino, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE.

As empresas que promovem workshops, debates, palestras e outras ações com foco nesse tema estão estimulando não só a presença feminina no setor de TI, mas também a quebra de paradigmas no mercado de trabalho, a formação de mulheres em tecnologia e incentivando o empoderamento feminino.

E você? Conhece alguém do setor ou é uma profissional de tecnologia? O que acha que ainda precisa ser feito para alavancar a presença feminina na área?

*A coluna assinada pela Love Mondays conversa com as mulheres que prezam pelas suas vidas profissionais, mas que não abrem mão de ter a qualidade de vida conciliada com suas carreiras.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Este conteúdo foi útil para você?

Love Mondays

Love Mondays

<3 Trabalho

close