Esse hábito está lhe impedindo de guardar dinheiro todo mês

Esse hábito está lhe impedindo de guardar dinheiro todo mês

“Esse mês eu vou guardar dinheiro”. Quantas vezes você não prometeu isso para si mesma e, quando chegou o dia 30, viu que não tinha mais nada na conta? Talvez você culpe a crise – e talvez ela realmente tenha contribuído com sua situação financeira. Mas, muitas vezes, bastaria um pouco de empenho para conseguir reservar uma quantia, mesmo que pequena.

Se você também tem o hábito de só guardar dinheiro quando ele sobra, infelizmente, você não está sozinha: em janeiro, 29% dos brasileiros afirmaram que também mantêm esse péssimo costume. Foi isso que revelou o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) em pesquisa divulgada nesta semana. O número faz parte do novo Indicador de Reserva Financeira, índice que acompanhará a evolução do hábito de poupar da população. Para que se tenha ideia, apenas 7% poupa um valor fixo mensalmente.

O problema é que não há dinheiro que sobre – quem resiste àquelas cifras dando sopa na conta corrente e não trata de arranjar algo para gastá-las?

Se, para poupar, você precisa que a grana sobre, raramente conseguirá juntar algo. “O ideal é encarar esse dinheiro com a mesma seriedade que você vê uma despesa fixa, como aluguel. Assim, você não abre mão de reservá-lo, mesmo em situações difíceis”, ensina Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil. Outra dica da economista-chefe é separar o valor assim que o salário cair na conta para não correr o risco de gastá-lo.

Sem reserva financeira

Há quem disfarce a situação dizendo que “guarda dinheiro quando pode”, mas também há quem admita que nem poupa, nem possui uma reserva financeira. De acordo com o índice, 62% da população brasileira não tem o hábito de separar nenhuma quantia mensalmente.

O número tão alto de não poupadores pode, em partes, ser explicado pela crise econômica que afetou o País. Porém, para Marcela, o maior problema é a ausência do costume de guardar. “Embora haja, de fato, a falta de dinheiro, é preciso falar sobre como as pessoas não priorizam essa questão na vida financeira. Sabemos que a crise potencializa, mas também existe a falta de cultura do brasileiro em poupar”, diz.

guardar-dinheiro

“Você não enriquece com o dinheiro que ganha mas, sim, com o que guarda – e a única forma de fazer isso é guardando um pouquinho todo mês. Não precisa ser muito, pois o que mais importa é a regularidade”, completa Carol Ruhman Sandler, fundadora do Finanças Femininas.

Dinheiro debaixo do colchão

O confisco da poupança ocorrido nos anos 1990 durante o governo Collor deixou traumas na população. Eles são tão arraigados que, até hoje, boa parte das pessoas ainda prefere guardar dinheiro em casa, em vez de depositá-lo no banco – 20% dos entrevistados pelo SPC Brasil e CNDL, mais precisamente.

No entanto, enquanto seu precioso dinheiro fica no cofrinho, a inflação o corrói, diminuindo seu poder de compra. Ou seja, você está perdendo dinheiro. “Hoje, até mesmo a poupança bate a inflação. Se você acha que outros investimentos são complicados, comece por ela e você já terá sua reserva protegida”, ensina Carol.

Continuar poupando em tempos difíceis

A boa notícia é que não precisa guardar muito dinheiro para fazer parte dos 7% que fazem isso regularmente. “Do mesmo jeito que diminuímos o plano de internet quando o orçamento aperta, também é possível reduzir o valor que se guarda. O importante é manter o hábito”, aconselha Marcela. A exceção, de acordo com a economista-chefe, fica por conta de situações extremas, como desemprego e endividamento.

Para que se tenha ideia, é possível começar a investir no Tesouro Direto com apenas R$ 30. De pouco em pouco, ao final do ano, você terá uma quantidade que pode salvar sua pele caso surja uma emergência. “Depois que você aprende, se torna automático”, garante a fundadora do Finanças Femininas. Se você ainda não sabe como aplicar nessa modalidade, a Carol fez um vídeo explicando como (veja abaixo).

Em suma, fazer parte daqueles 7% que guardam dinheiro é uma questão de hábito. Que tal adquiri-lo e ter uma vida financeira mais equilibrada?

Fotos: Shutterstock

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close