Feedbacks mal elaborados desmotivam os funcionários

Feedbacks mal elaborados desmotivam os funcionários

A vida profissional é cheia de desafios e também de oportunidades de crescimento. Uma das ferramentas para o desenvolvimento é o feedback. “É preciso ter maturidade tanto para dá-lo como para recebê-lo. A funcionária precisa entender que não é uma coisa pessoal. Do contrário, pode ficar desmotivada”, afirma Lígia Molina, professora do IBE-FGV, especialista em gestão de pessoas, liderança e coaching executivo.

Segundo ela, o feedback tem que ser construtivo e verdadeiro, e é uma oportunidade para a funcionária saber o que pode melhorar.

Você também pode gostar:
Maus líderes prejudicam a carreira dos funcionários
Como evitar desgastes com colegas de trabalho
Como pedir demissão sem outro emprego garantido

Porém, quem o dá precisa tomar alguns cuidados. “Ele pode ser agendado e deve ser dado sempre em particular para não expor a funcionária a outras pessoas. Converse em um lugar tranquilo. Se estiver com a cabeça quente, espere se acalmar para dar o feedback”, alerta Lígia.

Toda cautela é pouca, do contrário, em vez de obter uma melhoria no desempenho da colaboradora, a gestora corre o risco de piorar a situação. “Você perde a funcionária, que se desmotiva, perde um talento e a oportunidade de desenvolver pessoas. Por isso há tanta rotatividade nas empresas, por causa de feedback mal dado”, diz.

como-passar-feedback

Alguns cuidados também são essenciais quando uma funcionária é nova na companhia. “É preciso deixar muito claro o que se espera dela, fazer um acompanhamento e entender se há alguma dificuldade. Fale sobre a qualidade do trabalho e dê dicas de como ela pode melhorar”, afirma. De acordo com a especialista, pedir feedback também é uma iniciativa muito positiva, pois demonstra interesse e vontade de se aprimorar.

O que pode ser feito para que as orientações dadas no feedback sejam assimiladas da melhor forma? “Se ele for por escrito pode ajudar. Se for acompanhado de um plano de ação de como a funcionária pode melhorar, há mais chances de ele ser lembrado”, explica.

Segundo Lígia, o feedback é uma ferramenta bilateral e a colaboradora tem o direito de discordar dele. Ela explica que tanto quem o dá como quem o recebe, e não concorda com ele, devem ter como comprovar o que estão falando.

Quando você receber um feedback, fique atenta para aprender o máximo que puder com ele e se desenvolver – e tente não levar para o lado pessoal. Não é possível controlar a forma como ele lhe será passado. Se for mal dado ou injusto, ainda assim, procure manter a motivação e faça o melhor trabalho possível. Continue batalhando. Nunca se sabe quando melhores oportunidades profissionais surgirão. Tenha foco e siga em frente.

Se você lidera outras pessoas, tem o papel de desenvolvê-las. Dê feedbacks de maneira positiva e sempre com educação para que seus funcionários se sintam motivados a melhorar sempre. Se souber dar bons feedbacks e as orientações necessárias para que se aprimorem, você pode se surpreender com os resultados.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close