Gravidez: dicas de finanças para quem planeja ter um filho

Gravidez: dicas de finanças para quem planeja ter um filho

Quando o assunto é gravidez, é difícil ter realmente certeza de que aquela é a hora certa. Mas, pensando nas finanças, é possível sim se planejar para tornar esse caminho mais tranquilo.

Antes do nascimento, é preciso deixar tudo pronto para a chegada, depois, os custos fixos sobem bastante. Por isso, a coach financeira e fundadora do Finanças Femininas, Carolina Ruhman Sandler, dá a dica: o ideal é que se tenha uma reserva para o primeiro ano da criança. Confira, então, um passo a passo para se preparar financeiramente para esse momento.

1) Comece a poupar

Quanto antes você der início ao planejamento, mais fácil será evitar uma mudança abrupta no seu padrão de vida quando a criança nascer. Carolina explica que o ideal é começar a sua reserva financeira mesmo antes de engravidar. Mas claro: nem sempre isso é possível. Por isso, comece a organizar-se assim que puder.

2) Liste as despesas futuras

Para saber o quanto precisará poupar, é preciso fazer as contas. Comece fazendo uma lista de quais seriam os seus gastos durante a gravidez, no parto e, posteriormente, o seu custo fixo mensal com a chegada do bebê. Abaixo, Carolina lista algumas dessas possíveis despesas:

Pré-natal e parto

– Exames (se não tiver plano de saúde);
– consultas (se não tiver plano de saúde);
– vitaminas e remédios;
– roupas de gestante;
– móveis para o quarto do bebê;
enxoval do bebê;
– parto e internação.

Custos fixos do bebê

– Pediatra (se não tiver plano de saúde);
– fraldas;
– remédios;
– roupas e acessórios;
– brinquedos;
– creche ou escolinha;
– alimentos.

financas_gravidez_interna

3) Faça as contas

Com essa lista em mãos, você poderá partir para a pesquisa de preços. Os valores dos itens para grávidas e bebês variam muito, por isso, é fundamental comparar preços em diversas lojas, físicas e virtuais. Ferramentas de comparação de preços, como o Zoom, Buscapé e Google Shopping podem ajudá-la.

4) Escute quem já passou por isso

Esse mercado também cheio de itens “indispensáveis” – que na verdade não o são. Por isso, é importante ficar atenta para não acabar gastando com produtos que não valerão a pena. Pesquisar e ouvir a opinião de quem já experienciou a maternidade pode ser muito útil nesse momento.

5) Aproveite doações e empréstimos

Muitos itens são usados por pouquíssimo tempo pelo bebê, principalmente roupas, e outros podem ficar em perfeito estado depois do uso, como um berço. Por isso, é muito comum que mães emprestem ou doem produtos entre si. Esse hábito é ótimo para que você possa reduzir a lista de despesas nessa fase.

Não se planejou?

Se o bebê já está caminho e você não estava preparada para isso, tudo bem. A hora agora é de repensar suas finanças. Depois de listar as despesas e pesquisar preços, você saberá mais ou menos quanto precisará guardar. Assim, poderá buscar onde cortar gastos e reorganizar o orçamento.

* Com informações do livro “Finanças Femininas”, de Carolina Ruhman Sandler e Samy Dana.
 

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close