Guia: Como escolher seu plano de previdência

Guia: Como escolher seu plano de previdência

*Conteúdo patrocinado Caixa Seguradora

Você já decidiu fazer um plano de previdência, mas agora bateu aquela dúvida: PGBL ou VGBL? Tabela progressiva ou regressiva? Qual fundo de investimento escolher? Com tantas opções, parece uma salada de letrinhas. Para te ajudar, montamos um guia para você escolher o melhor plano para os seus objetivos.

Em primeiro lugar, você deve decidir: PGBL ou VGBL?

O PGBL é indicado para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda. Com ele você declara as contribuições realizadas durante o ano no seu Imposto de Renda até o limite de 12% da sua renda bruta anual, e com o benefício fiscal, pode pagar menos imposto. Nesse tipo de plano, se você for retirar o seu dinheiro, o imposto é cobrado sobre o valor que você investiu e também sobre o rendimento.

Já o VGBL é para quem faz a declaração simplificada ou não faz declaração. Com esse plano, as contribuições não podem ser inseridas na sua declaração de IR. No entanto, quando você retirar o dinheiro, o imposto é cobrado apenas sobre o valor do rendimento. Essa opção também é ideal se você tem um plano tipo PGBL e já contribui com 12% da sua renda bruta anual.

Depois, você deve olhar para a tabela de imposto:

A tabela regressiva é a escolha certa para quem quer investir no longo prazo. Como o próprio nome já diz, a alíquota de IR é decrescente: 35% para investimentos de até 2 anos; 30% entre 2 e 4 anos; 25% entre 4 e 6 anos; 20% entre 6 e 8 anos; 15% entre 8 e 10 anos; e 10% para prazos acima de 10 anos.

Já a tabela progressiva, que acompanha a do IR sobre salários, é indicada em dois casos: para quem pretende fazer um investimento em um prazo menor (até 5 anos), ou para quem quer receber uma renda mensal que não ultrapasse a alíquota de 7,5%.

Com estas definições, agora é hora de você olhar para as taxas cobradas e opções de planos. É essencial comparar taxas e benefícios, para você conseguir escolher o plano que faz mais sentido para a sua vida.

Uma dica: se estiver difícil para definir o melhor plano para o seu caso, peça uma ajuda para o seu gerente calcular o rendimento líquido que você terá – após cobranças de IR e taxas. Ao olhar para o resultado final de todo este esforço é que você vai poder escolher o melhor plano para garantir um futuro bem cuidado.

Foto: iStock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close