Inflação no primeiro trimestre é a menor desde o começo do Plano Real

Inflação no primeiro trimestre é a menor desde o começo do Plano Real

A inflação oficial do País, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desacelerou entre fevereiro e março, conforme informado nesta sexta-feira (07) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês, a inflação variou 0,25%, abaixo dos 0,33% registrados em fevereiro. Este é o menor índice para março desde 2012.

No primeiro trimestre do ano, a inflação acumula 0,96%, muito abaixo dos 2,62% registrados no mesmo período de 2016. De acordo com o IBGE, esse é o menor resultado para o primeiro trimestre do ano desde o começo do Plano Real, em 1994. Nos últimos doze meses, o índice desacelerou para 4,57%, patamar menor do que os 4,76% registrados nos 12 meses anteriores.

O que subiu

O item energia elétrica pressionou bastante a inflação no mês de março. A alta foi de 4,43% e acabou provocando também uma pressão no grupo habitação, que subiu 1,18%. O aumento expressivo no item energia é atribuído à cobrança da bandeira tarifária amarela – de R$ 2,00 a cada 100 kwh consumidos -, além das variações nos impostos PIS/COFINS em todo o País.

O reajuste de preços nas refinarias também encareceu o botijão de gás, que no mês de março teve elevação de 1,13%.

O grupo educação, apesar de ainda apresentar alta (0,95%), desacelerou fortemente em relação ao mês anterior, quando o patamar ficou em 5,04%. O grupo alimentação e bebidas, por outro lado, subiu 0,34% em março, sendo que em fevereiro havia caído 0,45%. Os produtos que mais pressionaram a alta do grupo foram leite longa vida (2,60%), café moído (1,89%) e pão francês (0,91%). Apesar do grupo ter fechado o mês em alta, a queda de alguns produtos ajudou a frear o aumento. Foram eles feijão-preto (-9,11%), feijão-carioca (-5,59%) e o feijão-mulatinho (-4,5%).

Teve alta ainda o grupo saúde e cuidados pessoais, com elevação de 0,69%.

IPCA_marco_2

O que caiu

De fevereiro para março, quatro dos nove grupos avaliados pelo IBGE tiveram redução de preço. Foram eles: transportes (-0,86%), comunicação (-0,63%), artigos de residência (-0,29%) e vestuário (-0,12%). O item gasolina foi um dos que mais contribuiu para a queda de preços no grupo transportes, com redução de 2,21% em relação ao mês anterior. A passagem aérea também caiu 9,63% entre um mês e outro.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close