Inflação no primeiro trimestre é a menor desde o começo do Plano Real

Inflação no primeiro trimestre é a menor desde o começo do Plano Real

A inflação oficial do País, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), desacelerou entre fevereiro e março, conforme informado nesta sexta-feira (07) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês, a inflação variou 0,25%, abaixo dos 0,33% registrados em fevereiro. Este é o menor índice para março desde 2012.

No primeiro trimestre do ano, a inflação acumula 0,96%, muito abaixo dos 2,62% registrados no mesmo período de 2016. De acordo com o IBGE, esse é o menor resultado para o primeiro trimestre do ano desde o começo do Plano Real, em 1994. Nos últimos doze meses, o índice desacelerou para 4,57%, patamar menor do que os 4,76% registrados nos 12 meses anteriores.

O que subiu

O item energia elétrica pressionou bastante a inflação no mês de março. A alta foi de 4,43% e acabou provocando também uma pressão no grupo habitação, que subiu 1,18%. O aumento expressivo no item energia é atribuído à cobrança da bandeira tarifária amarela – de R$ 2,00 a cada 100 kwh consumidos -, além das variações nos impostos PIS/COFINS em todo o País.

O reajuste de preços nas refinarias também encareceu o botijão de gás, que no mês de março teve elevação de 1,13%.

O grupo educação, apesar de ainda apresentar alta (0,95%), desacelerou fortemente em relação ao mês anterior, quando o patamar ficou em 5,04%. O grupo alimentação e bebidas, por outro lado, subiu 0,34% em março, sendo que em fevereiro havia caído 0,45%. Os produtos que mais pressionaram a alta do grupo foram leite longa vida (2,60%), café moído (1,89%) e pão francês (0,91%). Apesar do grupo ter fechado o mês em alta, a queda de alguns produtos ajudou a frear o aumento. Foram eles feijão-preto (-9,11%), feijão-carioca (-5,59%) e o feijão-mulatinho (-4,5%).

Teve alta ainda o grupo saúde e cuidados pessoais, com elevação de 0,69%.

IPCA_marco_2

O que caiu

De fevereiro para março, quatro dos nove grupos avaliados pelo IBGE tiveram redução de preço. Foram eles: transportes (-0,86%), comunicação (-0,63%), artigos de residência (-0,29%) e vestuário (-0,12%). O item gasolina foi um dos que mais contribuiu para a queda de preços no grupo transportes, com redução de 2,21% em relação ao mês anterior. A passagem aérea também caiu 9,63% entre um mês e outro.

Fotos: Shutterstock

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter!

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close