Inflação: veja o que ficou mais caro em janeiro

Inflação: veja o que ficou mais caro em janeiro

A inflação oficial do País, medida pelo IPCA, ficou em 0,38% em janeiro – a variação mais baixa da série histórica para o mês. O índice ficou 0,08 ponto percentual acima do apurado em dezembro, mas bem abaixo do registrado em janeiro do ano passado: 1,27%. No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA está em 5,35% – abaixo do teto da meta, de 6,5%.

Confira o que ficou mais caro e mais barato em janeiro deste ano e economize.

O que ficou mais caro

O maior impacto do mês veio do grupo Transportes, que subiu 0,77% – embora tenha desacelerado em comparação a dezembro, quando havia ficado em 1,11%.

Essa elevação veio, principalmente, das tarifas de ônibus urbanos, que subiram 2,84%. Os combustíveis também pressionaram o grupo, já que o etanol teve aumento de 3,10% e a gasolina, de 0,84%. As passagens aéreas, por outro lado, ficaram 7,36% mais baratas em janeiro.

Leitura complementar

Lista de Supermercado

Lista de Supermercado

Ver mais

O grupo Alimentação e Bebidas subiu 0,35% nos preços, resultado superior ao do mês anterior, quando havia ficado em 0,08%. Em janeiro, o item alimentação consumida fora de casa ficou 0,69% mais caro, e os alimentos para consumo em casa tiveram alta de 0,17%.

Entre os produtos que ficaram mais caros estão: cenoura (7,98%), óleo de soja (7,66%), farinha de mandioca (5,51%), bolo (3,34%), hortaliças (3,32%), açaí (2,76%), margarina (2,40%), pescado (2,39%), chocolate em barra e bombom (2,05%), atomatado (1,41%), café moído (1,40%), cerveja fora (1,24%) e iogurte (1,15%).

Já entre os produtos que ficaram mais baratos estão: feijão-carioca (-13,58%), batata-inglesa (-8,48%), tomate (-5,83%), feijão-preto (-3,75%), cerveja (-1,38%), cebola (-1,13%), leite em pó (-1,06%), farinha de trigo (-0,86%), queijo (-0,70%) e frango em pedaços (-0,66%).

inflacao_janeiro_interna

Habitação também apresentou forte aceleração, indo de uma queda de 0,59% em dezembro para aumento de 0,17% em janeiro. A alta se deve, principalmente, à taxa de água e esgoto, que subiu 0,61%. Já a energia elétrica ficou 0,60% mais barata.

Outro grupos que ficaram mais caros foram Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,49% em dezembro para 0,55% em janeiro), Educação (de 0,07% para 0,29%) e Comunicação (de 0,02% para 0,63%). O grupo Despesas Pessoais apresentou aumento de 0,45% nos preços, mas com desaceleração em comparação ao mês anterior, quando havia ficado em 1,01%.

O que ficou mais barato

Artigos de Residência (de -0,31% em dezembro para -0,10% em janeiro) e Vestuário (de 0,32% para -0,36%) foram os únicos grupos que apresentaram queda nos preços.

 

Fotos: Shutterstock

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close