Lego faz campanha que incentiva empoderamento feminino

Lego faz campanha que incentiva empoderamento feminino

Muitas de vocês devem se lembrar de quando comentamos aqui sobre os questionamentos levantados por uma garotinha de 7 anos, que encaminhou uma carta para a Lego reclamando que as linhas para meninas limitavam-se a atividades domésticas, enquanto aquelas desenvolvidas para os meninos tinham tudo a ver com aventuras e desafios. Bem, naquele momento, a resposta da famosa fabricante de brinquedos foi o lançamento de uma linha com meninas trabalhando com engenharia química, paleontologia e astrologia – como forma de mostrar que as garotas podem ser o que elas quiserem.

Aparentemente a empresa abraçou a causa do empoderamento feminino e lançou uma campanha publicitária que deveria servir de exemplo para todas as fabricantes de brinquedo. Intitulada “Inspire Imagination and keep building” (Inspire a imaginação e continue construindo – tradução livre), a propaganda reforça a mensagem de que as meninas podem e devem sonhar com aquilo que quiserem.

“Não quero que você me ajude sempre, sabe por quê? Eu quero descobrir sozinha, mesmo que nem sempre as coisas saiam da forma como planejei”, diz a garotinha do vídeo, enquanto inventa várias possibilidades em suas brincadeiras. As imagens, por sua vez, mostram-a brincando com um barco, fingindo ser médica, brincando com um helicóptero, um paraquedas, construindo um labirinto para o rato de estimação, uma estrutura para um teatro e montando uma casa. A diversidade é o que dá o tom das brincadeiras da menina.

Até o fechamento deste post, a campanha já contava com mais de 438 mil visualizações no Youtube e seguia sendo compartilhada nas redes sociais por meio da hashtag #KeepBuilding.

Fato interessante é que a Lego dispõe inclusive de um estudo que mostra a diferença de comportamento de meninas e meninos na hora de brincar. Segundo o levantamento, os meninos tendem a montar as peças de acordo com o que indica o manual, enquanto as meninas tem uma tendência maior a usarem o brinquedo para fazerem suas próprias criações.

O dado é mais um incentivo para dar continuidade a campanhas como esta e incentivar o empoderamento. O vídeo faz lembrar um questionamento recente proposto por Clara Averbuck no Lugar de Mulher. No texto, ela faz uma reflexão justamente sobre o desafio de criar meninas e mostrar a elas que é possível ser o que quiserem, que não precisam aceitar os rótulos de gênero que são impostos desde muito cedo.

Superar as dificuldades e preconceitos enraizados é um desafio diário e exaustivo, mas são iniciativas grandes como essa que nos encorajam e mostram que, de passo em passo, estamos conseguindo mudanças.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close