Meu marido ficou desempregado. E agora?

Meu marido ficou desempregado. E agora?

O sonho de toda mulher é ter uma família que nem as da televisão – a mulher trabalha (fora ou em casa), os filhos são saudáveis e o marido ganha rios de dinheiro. Só que nem sempre esta é a realidade das famílias brasileiras… E a verdade é que este cenário vem mudando cada vez mais, com as mulheres assumindo boa parte das responsabilidades de uma casa. Em 40% dos domicílios brasileiros, ela que é a provedora.

E quem disse que toda mulher quer mesmo ser bancada? Isso é verdade para todas? Claro que não, e cada vez mais mulheres buscam sua independência financeira. Não tem certo nem errado, apenas escolhas pessoais. Mas uma coisa é dividir a renda. Outra é virar a provedora da casa – o que gera rios de responsabilidade e até um peso para o relacionamento. O que acontece quando o marido perde o emprego e é você quem fica com as rédeas totais da família? Confira esta história de uma leitora.

“Eu casei muito nova, tinha 20 anos. Inevitavelmente carregava o sonho de contos de fada – casinha lindinha, filhos educados, trabalho honesto e marido me bancando. Conforme os anos foram passando, percebi que esta realidade era possível, mas não seria a minha. 

Meu marido tinha um alto cargo numa empresa e, do dia pra noite, depois da mudança da presidência, ele ficou desempregado. Nesta altura do campeonato, eu já tinha 35 anos e dois filhos. Me deu um baita pânico e não me restava outra coisa a não ser trabalhar!

Por incentivo dele concluí a faculdade de língua portuguesa, prestei concurso público e fui dar aula. Graças à Deus, entre trancos e barrancos, conseguimos formar nossos dois filhos, dar educação, mas sem muito luxo. Hoje confesso que foi um baque meu marido ficar desempregado. Vi meus sonhos irem pelo ralo…

A experiência me mostrou que a vida nem sempre é do jeito que a gente quer. Não serão todas as famílias que o homem que tem poder financeiro exclusivo. Eu sozinha consegui tudo! Hoje estou prestes a me aposentar e, se pudesse voltar no tempo, faria tudo de novo”, contou Eleni, 61 anos.

Se você está nesta situação, reunimos algumas dicas para você aprender a lidar melhor com a situação, com o relacionamento e cuidar da sua carreira sem tanto sofrimento. A história da Eleni nos mostra que por causa de um momento difícil para sua família, ela encontrou satisfação pessoal e profissional, com o orgulho de ser capaz de cuidar de tudo e se tornar independente. Quer aprender como? Confira!

Primeiro impacto
Vivemos em uma sociedade na qual o homem ainda é educado para ser a principal fonte de renda de uma família. Mas se algum obstáculo atrapalhar este sonho social, não se lamente. Você e ele trabalham juntos para conseguir organizar a estrutura familiar, certo? Então assim que ele ficar desempregado, dê o apoio necessário. Tente superar o momento de luto e de dó rapidamente. Pensem – juntos – em como organizar as finanças do casal. Esteja sempre por perto para incentivar e passar uma mensagem positiva. Afinal de contas, casamento é acima de tudo uma parceria. Agora, o peso vai cair sobre você, então prepare-se para dar gás total na sua carreira.

Sobrecarregada no dia a dia
A principal reclamação das mulheres neste período é que ficam sobrecarregadas. O homem quando trabalhava fora tinha uma rotina totalmente diferente. Por mais que seja difícil, vocês devem juntos conseguir reerguer o ambiente familiar. Reflitam qual será a fonte de renda daqui para frente e o que farão para gerar renda. Em meio a tudo isso, divida as atividades de casa. Indique o que cada um deve fazer e como devem fazer. Esta é a fase mais complicada de todo processo. Por isso, tenham mais paciência do que o normal. Se você é quem ficou com o cargo de provedora, vai ter que aprender a passar suas tarefas domésticas para ele. Hoje em dia, tem muito homem que tem orgulho de ser pai em período integral. Aposte nesta tendência!

Gastos extras
Como a renda vai diminuir, alguns hábitos familiares tem que ser cortados. O primeiro passo é reestruturar todas as finanças do casal. Anote todas as despesas e passe a limpo numa planilha. Só assim vocês irão identificar para onde o dinheiro está indo e quanto está entrando. Conhece aquela expressão época de vacas magras? Pois então, a sua família tem que seguir assim até você conseguir chegar em um patamar de renda igual ao dele na época de bonança. E isso é super possível, então aposte em você! Aproveite para criar outra consciência do consumo e pare de gastar com supérfluos! Bole uma estratégia para liquidar todas as dívidas também. Quanto menos dor de cabeça tiverem, melhor para a relação familiar.

Na sua opinião, o que é mais difícil nesta hora?

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

Carol Sandler

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close