“Não tinha pudor nenhum com dinheiro… gastava sem dó!”

“Não tinha pudor nenhum com dinheiro… gastava sem dó!”

Quem nunca perdeu o controle com o dinheiro? Para mostrar como uma leitora nossa saiu de uma situação de descontrole financeiro total para uma vida super organizada! Apesar de ter 19 anos e ter a vida toda pela frente, Fernanda Botelho (nome alterado para proteger a privacidade da leitora) tem maturidade quando mexe com dinheiro. Só que a intimidade com as finanças não vieram do nada. Sua aproximação com o dinheiro começou aos 17 anos, na época da escola, assim que começou a trabalhar num escritório de arquitetura.

Naquela época ela não tinha gastos essenciais todo mês, porque morava com seus pais e não sabia lidar com o banco. Assim como o salário entrava todo mês, saia também com a maior facilidade. Claro que nem tudo ia ficar na calmaria. O toque de alarme que ela precisava cortar os gastos tocou quando olhou olhou o saldo e viu que cada mês utilizava mais o seu limite bancário.

“Por mais que meus pais pudessem me ajudar, não queria perturbá-los com as minhas dívidas que eu própria conquistei. Eu estava assustada, pensando no que eu estava acontecendo, mas não sabia o que fazer. Quando percebi que minha situação estava saindo do controle fui pesquisar sobre como sair das dívidas”, conta.

Ela sabia que estava com um problema, mas não sabia como sair dele. Fernanda contou também com a ajuda do  Finanças Femininas. Mas para entrar nos eixos de vez, acabar com as dívidas e os gastos desenfreados diminuírem, ela teve que mudar de atitude e começar a poupar com inteligência.

“Por dois ou três meses carregava na minha bolsa um bloquinho. Nele eu anotava tudo que eu gastava no dia. Assim que chegava em casa colocava tudo numa planilha. Foi aí que eu percebi como não tinha pudor com meu dinheiro… gastava sem dó!”, assume Fernanda.

Mas a maturidade financeira não veio do nada. Além de ler nosso conteúdo, ela busca saber mais informações em revistas, sites e principalmente em livros. O último livro que ela está devorando é O Poder do Hábito: Por que Fazemos o que Fazemos na Vida e nos Negócios, de Charles Duhigg”.

“Eu não consigo parar de ler este livro. Aliás gosto muito de ler… leio em média dois ou três livros por mês. Agora que a faculdade começou vai ficar mais difícil conseguir ler tudo que gosto”.  Agora os objetivos de Fernanda são outros e cada vez mais a estudante do 5º semestre da faculdade de Arquitetura está focada em seu sucesso profissional. Para atingir a carreira de sucesso poupa o máximo que pode mensalmente.

“Para me livrar das dívidas no início foi barra. Parei de sair totalmente! Assim que aprendi a me organizar financeiramente ficou mais fácil. Eu separo meu salário em partes: contas que eu tenho a pagar, dinheiro para poupar e o que sobra eu gasto comigo mesma, como quiser“, ensina Fernanda.

Quando assunto é dinheiro, ela é clara: “Agora que sei poupar, quero investir. Isso vicia!“. Seus planos para 2013 são de gente grande – trocar o carro ou talvez fazer um intercâmbio, desde que não atrapalhe sua carreira no escritório em que trabalha.

Gosto do nosso papo com a Fernanda? Conte pra gente nos cometários como o Finanças Femininas ajudou na sua organização mensal.

E se você ficou com vontade de ler o livro O Poder do Hábito, aproveite, pois vamos sortear três cópias para as nossas fãs no Facebook! Para concorrer, acesse aqui!

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close