O casal vai morar junto? É hora de falar sobre dinheiro

O casal vai morar junto? É hora de falar sobre dinheiro

O namoro está quase evoluindo para um noivado e as conversas sobre morar juntos são bem frequentes. Além de dividirem as contas, vocês podem fazer uma espécie de teste para avaliar como vão lidar com a convivência e a rotina a dois. A decisão de morar juntos antes de oficializar uma união é algo cada vez mais comum entre casais. A opção é realmente bem madura para duas pessoas que pretendem construir uma vida juntos. Sendo assim, para que os planos funcionem bem, é preciso que vocês estejam bem alinhados financeiramente.

Quando dizemos isso, não significa que vocês precisam ter renda equivalente, mas é importante que compartilhem uma visão de futuro equilibrada para ambas as partes. Afinal, é preciso que vocês estejam unidos (as) para enfrentar possíveis dificuldades no meio do caminho. Como proceder se você ou seu marido/mulher perder o emprego? Como equilibrar as contas se um (a) tiver muito mais despesas que o outro (a)?

Ponderar sobre aspectos como esses pode evitar desgastes desnecessários entre o casal. Afinal, a vida a dois já requer tanta dedicação de ambas as partes, não dá para deixar que o dinheiro interfira na felicidade de vocês, não é?

Como são os hábitos financeiros no cotidiano?

Você gosta de comer fora de casa pelo menos duas vezes por semana. Ele/ela faz questão de assinar o pay-per-view para acompanhar os jogos do Brasileirão. Enfim, cada lado com suas prioridades. Como adequar a convivência de ambos, satisfazer todas as vontades individuais e ainda evitar um perrengue com dinheiro?

Ajustar o orçamento a dois pode dar um certo trabalho no começo e é interessante que vocês ajam com cautela principalmente nos primeiros meses, para avaliar em quais pontos as contas vão aumentar, em que aspectos vocês conseguem economizar, etc.

Em um primeiro momento, você pode imaginar que somando as rendas de vocês, vai ficar mais fácil bancar as contas, mas é preciso levar em consideração que alguns gastos também vão aumentar. As contas de luz e água, o supermercado do mês, fora as despesas com lazer e gastos individuais. É justamente para que não se percam que é aconselhável que façam um novo mapeamento do orçamento para que saibam onde podem economizar.

dinheiro_morar_junto

Lidando com emergências

Voltando ao ponto que citamos acima, ainda que você imagine que bancar as contas da casa ficará mais fácil com duas rendas, pense também que é preciso aumentar a reserva do fundo de emergência. Afinal, se acontecer algum imprevisto  desagradável (caso de doença, desemprego, etc), é preciso conseguir bancar as despesas para duas pessoas, ainda que temporariamente.

Qual o histórico financeiro de vocês?

Você tem fama de “pão dura” e ele/ela de consumista? As prioridades de vocês em relação a dinheiro são muito diferentes? Quebrem o gelo e deixem o canal aberto para falar sobre esses assuntos, afinal isso é determinante para a saúde financeira de vocês.

Usem o diálogo para contornar as possíveis diferenças quanto a essas prioridades. Procure ceder quando necessário, bem como ser firme para pedir uma mudança de postura do parceiro (a) em situações de desequilíbrio para lidar com o dinheiro.

O diálogo, neste sentido, é importante não só em situações de perfis de comportamento muito diferentes, mas também para lidar com questões mais delicadas, como uma grande dívida, por exemplo.

Pense bem: quais os principais valores você preza em uma relação? Lealdade? Fidelidade? Companheirismo? Se em todos os outros aspectos da vida a dois você considera os valores que prioriza, é preciso fazer o mesmo quando o assunto é a saúde financeira do casal. Pode parecer chato quando falamos, mas a transparência financeira pode ser um dos pilares para construir a felicidade de vocês!

 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close