O empregado doméstico foi embora. E agora?

11.10.2013

-

Por Governess Consultoria Familiar

O empregado doméstico foi embora. E agora?

*Antoniele Fagundes

Um dia seu empregado chega para você e te diz que precisa conversar. Antes mesmo que ele comece a dizer qual o assunto, você imagina que ele irá “pedir as contas”. E como esperado, ele te fala que precisa viajar para cuidar de um parente adoentado ou então que recebeu uma proposta para trabalhar menos e ganhar mais, portanto, deixará o emprego.

Se você já passou por uma situação assim sabe que, em geral, os empregados quando chegam a avisar que vão sair, o fazem inesperadamente e algumas vezes, quando ainda estão nos primeiros meses de trabalho, um dia não aparecem mais no emprego!

Muitas famílias me procuram para perguntar o que fazer em situações assim! Eu sempre digo que o melhor a fazer é o mais simples, conversar abertamente. Porém, alguns empregados não conseguem ser sinceros e dizer o que os incomodam.  E então fica difícil resolver esta questão, não é mesmo?

O que conseguimos fazer é aquilo que nos cabe, ou seja, propor condições adequadas de trabalho, tratá-los com cordialidade e respeito e esperar o mesmo deles. Se mesmo assim o empregado pede para sair ou não aparece mais no emprego, não se culpe! Tudo tem seu fim, não é mesmo?

relações trabalhistas com domésticas

Os empregados domésticos, assim como todos nós, buscam empregos onde seja possível encontrar satisfação no trabalho realizado. Por isso é importante oferecer boas condições de trabalho para que eles encontrem mais razões para ficar no emprego do que para abandoná-lo.

Algumas questões são recorrentes entre os motivos que fazem os empregados domésticos desistirem de um emprego. O salário proposto, a carga horária de trabalho, a distância entre a casa do empregado são alguns motivos que podem gerar insatisfação.

Pense sobre os itens que eu listei abaixo e veja se a vaga que você propõe é adequada:

O salário

Analise se o salário que você propõe condiz com o do mercado. De nada adianta pagar um salário baixo e ter um empregado ineficaz ou mesmo insatisfeito. Se você não consegue oferecer um salário apropriado, considere contratar diaristas. Assim você separa quais são as tarefas que você precisa de ajuda e lista para que a diarista as cumpra nos dias em que você a contratar.

O horário de trabalho

Hoje, com a aprovação da lei para os empregados domésticos, a carga horária máxima de trabalho é de 44 horas semanais. Por isso é importante saber quais são as tarefas da sua casa que a empregada precisará realizar para que a rotina dela seja viável.  Faça uma rotina com uma lista de tarefas e analise quanto tempo deve ser gasto para cada atividade.

A alimentação dos empregados

Este item, em geral, é complicado, pois vejo que as famílias ficam envergonhadas de falar sobre a alimentação. Decida, antes de tudo, se você irá oferecer um vale alimentação ou se o empregado irá se alimentar em sua residência. Lembre-se de que é um direito do empregado gozar entre 1 e 2 horas de almoço diariamente.

Caso fique acertado que ele vai se alimentar na sua casa, você precisa combinar o que ele irá comer. Do contrário, seu empregado ficará com fome ou vai consumir as comidas especiais que você compra para saborear com sua família!

Faça um cardápio com seu empregado. Não existe nenhum problema nisso. Em seguida, faça as compras dos alimentos para que ele prepare as refeições.

 O uso do telefone na residência

O telefone da sua residência é para uso da sua família. Peça a seu empregado que te avise quando precisar fazer algumas ligação.

uniformes de empregadas domésticas

Uso de uniforme

Se para sua família é importante o usar uniformes, seja categórica com seu empregado. Se ele apresentar resistências, tente resolver conversando, afinal hoje existem muitos modelos de uniformes. Dialogando vocês podem encontrar um que satisfaça ambos.

Respeito

Escuto muitos empregados que reclamam por serem tratados com falta de respeito por seus contratantes. Tratar com educação, mesmo nos momentos de chamar a atenção por algo feito é uma necessidade não só doméstica. Além disso, dar um bom dia, boa tarde, boa noite é um ato de educação e que devemos cultivar principalmente dentro de nossa casa, concordam?

E para finalizar, se você viu algo que seu empregado fez que ficou a desejar, fale com ele! Não fique de “cara amarrada” imaginando que seu empregado sabe que você ficou assim porque ele chegou atrasado a semana inteira, por exemplo. Não podemos apostar que as pessoas sempre sabem os motivos que nos deixaram chateadas, Por isso meninas, conversem sempre! Nada de ficar emburrada! Não faz bem e atrapalha a harmonia da sua casa!

Boa sorte!

*Antoniele Fagundes estudou filosofia, psicologia e psicanálise. Atua como Consultora Familiar orientando familias em todas as questoes domésticas e familiares. Fale com ela através do e-mail antoniele@governess.com.br.

 

Este conteúdo foi útil para você?

Governess Consultoria Familiar

Governess Consultoria Familiar

Organize-se

close