Olimpíadas: Mulheres que fazem história

Olimpíadas: Mulheres que fazem história

Cada competição é uma oportunidade de quebrar barreiras. E para as mulheres no esporte ainda mais.

Há poucos dias comemoramos o primeiro – e até agora único – ouro do Brasil nas Olimpíadas, com a judoca Rafaela Silva. Também acompanhamos a seleção feminina de futebol brilhar e conquistar o público na competição. O time formado por gigantes do esporte expõe as grandes distorções do mercado esportivo, fomentando a discussão sobre desigualdade de gênero.

Apesar de estrelas desta edição, as jogadoras vivem muito longe dos holofotes e a disparidade no tratamento das atletas é gritante. Para se ter uma ideia, o futebol feminino só entrou para os jogos olímpicos em 1996, enquanto o masculino é disputado desde 1908. O boxe só passou a ser disputado por mulheres em 2012 e esta é a primeira vez em que há mulheres brigando por medalhas em todas as modalidades.

Nesta edição, a presença feminina entre os competidores chegou a 45%: uma marca inédita na história dos jogos. Na delegação brasileira são 259 homens e 209 mulheres.

Esse espaço foi – e ainda é – conquistado com muita batalha pelas mulheres. Quando os jogos surgiram em sua edição moderna, em 1896, as atletas foram proibidas de participar. Na primeira edição com presença feminina, em 1900, elas não passavam de 2%. Em 1980, ainda representavam pouco mais de 20% do total de competidores.

Em 2012, atletas da Arábia Saudita, Catar e Brunei competiram pela primeira vez, em Londres. Essa edição foi a primeira em que todos os países participantes tiveram mulheres competindo.

Confira a história de nove mulheres que lutaram contra o machismo e abriram caminho para que outras atletas brilhassem nos jogos.

 

1) Stamata Revithi: primeira mulher a “participar” dos jogos

Na primeira edição moderna dos jogos, em 1896, todos os competidores eram homens. A corredora grega correu de forma não oficial ao lado de fora do estádio e mesmo concluindo a prova, foi impedida de entrar no local.  

 

2) Charlotte Cooper: primeira mulher a ganhar o ouro

As mulheres começaram a participar das Olimpíadas em 1900, em Paris. Elas correspondiam a menos de 2% do total de atletas e só podiam competir em modalidades como tênis e golfe, consideradas belas e sem contato corporal. Nessa edição, a tenista britânica Charlotte Cooper se tornou a primeira mulher a conquistar o ouro nos jogos olímpicos.

 

3) Maria Lenk: primeira brasileira a participar dos jogos

A nadadora Maria Lenk foi a primeira brasileira – e sul-americana – a participar das Olimpíadas, em 1932. Ela se tornou um grande nome do esporte e sua participação abriu as portas para diversas outras atletas do País.

mulheres_olimpiadas_interna

 

4) Nadia Comaneci: primeira ginasta a tirar nota máxima

Em 1976, a ginasta romena entrou para a história do esporte após tirar a primeira nota dez da competição, em Montreal. Ao todo foram sete apresentações perfeitas, quatro nas barras assimétricas e três na trave.

 

5) Joan Benoit: primeira mulher a vencer uma maratona

Só em 1984, em Los Angeles, as mulheres passaram a correr maratonas nos jogos, pois acreditava-se que não fossem capazes de competir em provas tão longas. Nessa edição, a norte-americana Joan Benoit foi a grande vencedora.

 

6) Nawal El-Moutawakel: primeira campeã muçulmana e africana dos jogos

Também em 1984, a corredora marroquina Nawal El-Moutawakel entrou para a história dos jogos como a primeira mulher muçulmana e africana a vencer a competição. Ela ficou em primeiro lugar na prova dos 400 metros com barreiras.

 

7) Larissa Latynina: mulher com o maior número de medalhas olímpicas

A ex-ginasta soviética foi o grande nome dos jogos de Melbourne, em 1956, Roma, em 1960 e Tóquio, em 1964. Ela conquistou o total de dezoito medalhas, sendo nove de ouro, e se tornou a maior medalhista individual das olimpíadas.

 

8) Ketleyn Quadros: primeira medalhista brasileira em esporte individuais

A judoca Ketleyn Quadros entrou para a história dos jogos brasileiros em 2008, na edição de Pequim, ao se tornar a primeira mulher do País a conquistar uma medalha individual.

 

9) Wodjan Shaherkani: primeira atleta saudita a competir nos jogos

Em 2012, atletas da Arábia Saudita participaram pela primeira vez dos jogos. A judoca Wodjan Shaherkani foi a primeira mulher saudita a competir nos jogos olímpicos, em Londres. Aos 16 anos, ela lutou usando a veste islâmica.

 

Foto: Marta, jogadora da seleção brasileira de futebol por Antonio Scorza / Shutterstock.com

Foto: Atelta treinando na piscina Maria Lenk, no Rio de Janeiro por  A.RICARDO / Shutterstock.com

Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e assine a nossa newsletter! 

Este conteúdo foi útil para você?

Financas Femininas

Finanças Femininas

Sua independência financeira depende de você, com uma ajudinha nossa.

close