Os novos queridinhos do mercado: fundos imobiliários

Os novos queridinhos do mercado: fundos imobiliários

A gente sempre gosta de falar de alternativas de investimentos interessantes para você que quer investir o seu dinheiro. Um tema quente de 2013 são os tais dos fundos imobiliários, que fizeram o maior sucesso no ano passado e viraram uma aposta do mercado para este ano. Nós mesmas já falamos por aqui que o ano de 2013 deve ter uma grande procura por estes fundos: com os juros baixos e a inflação alta, os investidores agora estão à procura de bons investimentos. Como os fundos imobiliários não têm cobrança de Imposto de Renda sobre os dividendos (os lucros gerados pelos ativos) pra pessoa física, estes fundos se tornaram os novos queridinhos do mercado financeiro.

Para saber o quanto estes eles andaram em 2012, você pode olhar o resultado do IFIX, que mede o desempenho médio das cotas dos fundos na Bovespa. Este índice subiu 35% no ano passado – este foi o ganho médio de 44 fundos -, segundo a Exame. Só para te dar uma ideia de como este tipo de resultado é bom, o Ibovespa ganhou 7,4% no mesmo período, enquanto o CDI subiu 8,2%!

Mas então, qual é a ideia? Este tipo de fundo é para quem quer investir no mercado imobiliário, mas não tem o dinheiro para comprar imóveis sozinho e nem quer a dor de cabeça para administrá-los. Como nós já explicamos aqui, fundos de investimento são como condomínios que reúnem recursos de um conjunto de investidores. Nos fundos imobiliários, como o próprio nome diz, o foco são os negócios imobiliários, ou seja, empreendimentos ou imóveis prontos, como edifícios comerciais, shopping centers e hospitais. O fundo pode ter um ou mais imóveis no seu patrimônio e ele consegue um retorno através do aluguel, arrendamento ou venda destes imóveis.

É uma alternativa mais avançada (e mais fácil) do que comprar um imóvel para investir – com um fundo imobiliário, você conta com um gestor profissional, que escolhe os ativos (os imóveis) e busca a melhor forma de rentabilizá-los.

Segundo um relatório do banco BTG Pactual, vale mais a pena investir neste tipo de fundo do que comprar um imóvel para fazer negócio por vários motivos. Para começar, você não precisa investir tanto dinheiro: comprar uma casa ou apartamento pode sair caro, mas comprar uma cota de um fundo não. Além disso, este tipo de fundo te possibilita investir em grandes empreendimentos, que seriam inviáveis para uma pequena investidora, como shoppings ou torres de escritório.

Um fator importante é que estes fundos têm mais liquidez – é mais fácil comprar e vender uma cota de um fundo do que um imóvel inteiro! Outra vantagem é a maior diversificação, o que significa uma diminuição no seu risco.

Mas é mesmo a isenção de IR sobre o dividendo o que torna este tipo de investimento atraente. Os rendimentos do fundo não são tributados, ao contrário de um aluguel, onde você sempre tem a cobrança de uma alíquota (progressiva de 0% a 27,5% para pessoa física). Mas vale lembrar que a isenção vale apenas sobre os dividendos. Na hora em que há um ganho de capital (ou seja, quando você realiza o lucro do fundo, vendendo a sua posição, ou quando termina o prazo dele), o IR é cobrado normalmente.

Se o fundo for bem montado e gerido, você pode aplicar no mercado imobiliário com diversificação e segurança, sem ter que ficar se preocupando em cobrar aluguel ou arranjar inquilino!

De acordo com o BTG Pactual, o mercado imobiliário brasileiro tem recebido apoio dos avanços da economia do País, com o crescimento do PIB e a expansão da oferta de crédito. Com o avanço do crédito, com destaque para os financiamentos habitacionais. Segundo o banco, existe “demanda suficiente para sustentar o elevado patamar de crescimento do mercado imobiliário nos próximos anos”. Neste cenário, os fundos imobiliários são uma boa alternativa para quem quer investir neste mercado.

Se você gostou da ideia, precisa escolher os fundos tocados por bons gestores. Entre os diversos tipos de fundos imobiliários, existem três principais categorias: fundos de renda de aluguel, fundos de desenvolvimento imobiliário e fundos de investimento em títulos imobiliários. E lembre-se: antes de comprar qualquer investimento ou aplicação, você tem que perguntar SEMPRE dos valores cobrados (taxa de administração, por exemplo) e dos riscos!

Faça uma pesquisa, converse com pessoas e leia o materia dos fundos. E se sobrar alguma dúvida, fale com a gente!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

Carol Sandler

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close