Parcerias: Valem a pena?

Parcerias: Valem a pena?

* A coluna do Empreendedorismo Rosa no Finanças Femininas deste mês é da Lênia Luz, Sócia-Fundadora e Diretora de Comunicação do Empreendedorismo Rosa. 

Tempo desses, durante reunião com um prospect de minha consultoria em franquias, ele me disse: “Não estou buscando uma parceria com a sua empresa, quero tê-la como um fornecedor estratégico”. E continuou: “O termo parceria está perdendo valor no mercado, por causa da falta de comprometimento. No entanto, quando temos fornecedores estratégicos, as pessoas se sentem mais valorizadas e, portanto, comprometidas com o outro”. Saí da reunião convicta de ter aprendido uma nova lição, independente de nos tornarmos ou não fornecedores estratégicos um do outro.

vale a pena firmar parcerias?

O termo parceria pode ser usado para descrever uma relação contínua entre duas ou mais pessoas, seja na vida pessoal ou profissional. No mundo dos negócios, costuma ter um sentido estratégico: significa uma aliança em torno de um projeto ou empreendimento que, quando realizado em um esquema de cooperação, pode trazer grandes benefícios para os parceiros e seus clientes. Entendo que as parcerias podem produzir o fortalecimento de uma rede de ações positivas para os negócios envolvidos. Você, com certeza, já deve ter realizado algum tipo de parceria. Será que parou para pensar no que aconteceria de positivo para você e para o outro, em consequência dessa ação?

Muitas são as lições que tenho aprendido sobre esse tema. Como resultado, tenho tomado algumas novas posturas ao estabelecer parcerias para meus empreendimentos. Elenquei algumas delas:

– Buscar pessoas qualificadas e que compartilhem os mesmos princípios e linguagens (meus e de minha empresa).
– Compreender que empreendimentos são formados por pessoas. Portanto, não faço parcerias apenas com o negócio, mas também com quem o comanda.
– Buscar pessoas e empreendimentos que tenham os mesmos princípios éticos que os meus e de meus empreendimentos, e que estejam alinhados com os nossos valores.
– Identificar quais serão as vantagens para as duas partes envolvidas. É importante fazer a pergunta: “Por que ele deseja esta parceria comigo?”.
– Olhar para minhas competências e perceber as que faltam para meus empreendimentos – dessa maneira, posso identificar quais podem ser supridas por meio de parcerias.
– Olhar para as competências do outro e oferecer o que falta para o seu empreendimento, com base nas minhas competências.
– Estabelecer um prazo curto para nos conhecermos. Se depois desse prazo a parceria continuar sendo boa para ambas as partes, seguimos em frente, fazendo os ajustes necessários.

Fornecedor estratégico ou parceiro, o termo é o que menos importa. O que vale mesmo é olharmos de maneira clara para a situação, sermos transparentes na hora de estabelecer a parceria e acreditarmos no sucesso da caminhada empreendedora, mesmo quando as coisas não saem exatamente como imaginávamos.

Abreijos de parceria.

 

*Lênia Luz é sócia da Aurelio Luz Franchising & Varejo, consultoria em formatação de franquias, e do Empreendedorismo Rosa, espaço de interlocução sobre o empreender feminino.

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

karinaalves

Karina Alves

Jornalista e editora de conteúdo do Finanças Femininas. Já trabalhou em jornais impressos, online, rádio e com produção. Tem fascínio pela junção entre economia e psicologia, procura explorar cada vez mais esse universo e busca usar esse aprendizado para ajudar as pessoas a levarem uma vida financeira mais saudável! Contato pelo karina@financasfemininas.com.br

close