Planejamento da vida financeira a dois!

Planejamento da vida financeira a dois!

A partir do momento que você disser sim e trocar as alianças, entra na seriedade e no dia a dia aquela frase popular: “Tudo que é seu, é meu. E tudo que é meu, é seu”. É claro que existem diferenças entre os diferentes regimes de bens, mas ao decidir se casar, você decide também dividir a vida – e o dinheiro faz parte disso. Isso pode ser algo gostoso, cheio de intimidade e planos para o futuro, ou pode dar em várias brigas – e até ameaçar o casamento. Aprenda como lidar com essa situação com as dicas de Mauro Calil, educador financeiro.

Para os que vão se casar…

É o momento em que os casais precisam ter muita reflexão. “Ao programar e organizar uma festa, o casal tem que ter em mente que aquilo será uma alegria passageira. Por mais que a festa seja incrível, só vai durar algumas horas. O investimento feito nisso vale mesmo a pena?”, questiona Mauro Calil.

Realmente, os noivos tem que sentar juntos e decidirem quais serão os detalhes essenciais da festa. Lembre-se que uma cerimônia e festa de casamento podem ser gastos importantes neste momento de vida. Este valor pode ser investido em outra forma, como a compra de um imóvel, um bem durável.

Assim que listarem todos os serviços escolhidos (não esqueça a lua-de-mel), os noivos precisam verificar quanto irão gastar de fato na festa. A partir desta decisão precisarão economizar o dinheiro e ir pagando cada detalhe. Funciona como um parcelamento invertido, só que sem juros e sem uma financiadora.

Eu não recomendo em hipótese alguma fazer um financiamento da festa. Não se esqueça que em cima desse valor serão cobrados juros altíssimos que aumentam – e muito – o valor final“, orienta o consultor.

Tire da sua lista o que o Mauro chama de tolices financeiras, que são aqueles gastos desnecessários e que vão ficar esquecidos no tempo. Lembrancinhas? Garrafas d’água personalizadas? Bem casados? É você que decide o que é fundamental e o que pode ser substituído. De forma criativa, escolha outras maneiras para driblar estes gastos.

Regimento do casal

Em todo casamento é necessário definir qual será o regime de bens do casal. Nessa hora é preciso deixar o sentimentalismo de lado e assumir uma postura racional, para não ter problema no futuro. “A melhor coisa antes de casar é fazer um acordo pré nupcial e se casar com separação total de bens“, orienta Mauro Calil.

Por mais que confie no seu noivo e que acredita que não vão ter problemas futuros, há riscos ao aceitar a condição parcial de bens. “A condição mais usada no Brasil é a parcial de bens. Mas ela só serve para aumentar a garantia dos credores. Ou seja, se o seu marido quebrar, os seus bens entram na garantia dele“, complementa o consultor.

Para os recém casados…

A partir de agora, a renda do casal é uma só. “Esse negócio de separar as coisas é um problema!”. A melhor saída é que os dois saibam quanto ganham e qual é a renda mensal da família. É preciso muita organização e conversa para conseguir fazer o planejamento mensal.

O ideal é que os dois sentem, façam uma planilha de gastos e decidam qual será o destino do dinheiro. “Para pagar as contas tem três opções básicas: Escolher o que cada um paga, ter um caixa comum e uma pessoa responsável pelo pagamento de tudo ou dividir os gastos meio a meio“, diz Calil. A partir da planilhas, os dois devem acessar e acompanhar os gastos.

Para manter uma privacidade básica…

Se não quiserem ter conta conjunta, tudo bem. O mais importante para o casal é que juntos decidam qual será o destino final do dinheiro. E não é por isso que podem ficar controlando o gastos do parceiro. Escolham se vão ter uma semanada ou mesada e os valores para gastos pessoais. O dinheiro do lazer do casal é uma decisão a parte e deve ser estipulada junto dos gastos mensais e fixos.

Em casos que um ganhe mais que o outro, pensem qual é a melhor forma de lidar com o dinheiro. Por exemplo: ela tem uma renda de R$ 40 mil e ele uma renda de R$ 3,5 mil. Ela paga as contas e ele investe o dinheiro do salário para o patrimônio dos dois. Façam isso numa boa e com muito diálogo.

E você, como faz a separação do dinheiro com seu parceiro, tem algum segredinho especial? Conte pra gente!

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close