Planeje sua independência financeira de acordo com a idade

Planeje sua independência financeira de acordo com a idade

* Oswaldo Sena

É possível chegar à independência financeira investindo apenas 10% dos ganhos mensais. Fazendo isso você pode chegar à uma situação independente porém no limite, sem qualquer folga para algum imprevisto ou para aproveitar melhor a vida. Se você quiser ter a certeza de chegar lá numa condição mais favorável e que vai lhe proporcionar muito mais tranquilidade e felicidade, como poder comprar “aquela” bolsa ou levar os netos para uma viagem, invista 20%.

Tenha em mente que é muito importante aproveitar enquanto você é jovem para usar o poder do tempo e dos juros compostos trabalhando a favor. Portanto, comece a fazer isso o mais cedo possível e continue ao longo de toda a vida ativa, pois quanto mais tarde começar, maior terá que ser esse percentual.

Em geral, as mulheres costumam se preocupar mais com segurança. Nos investimentos de longo prazo isso pode levar à um resultado menos satisfatório. Para melhorar o resultado é preciso se expor um pouco mais a investimentos de maior risco, como é o caso de investimentos de renda variável, tipicamente as ações de empresas na bolsa de valores.

A renda variável é mais volátil que a renda fixa, mas em prazos longos é uma estratégia muito interessante pois além de proporcionar proteção contra inflação, gera um ótimo crescimento no patrimônio investido.

Talvez você já tenha ouvido falar da regra dos 100 para investimento em ações (100 menos a sua idade sendo o percentual do valor da carteira a ser investido em ações). Ela é muito usada nos países desenvolvidos. Ela incorpora segurança ao processo por reduzir a parcela dos investimentos em ações com o aumento da idade. Ainda por questão de segurança, eu sempre sugiro que o valor resultante seja dividido por 2 aqui no Brasil, tendo em vista que nos mercados emergentes a volatilidade e outros riscos do investimento em ações é ainda maior. Portanto, como exemplo, aos 20 anos você investiria no máximo 40% em ações e aos 60 anos investiria no máximo 20%.

No longo prazo, a parcela de lucros acumulados nesse tipo de investimento ficará muito maior que a soma dos valores depositados. Como a tributação (normalmente) vai incidir na parcela de lucros, é melhor procurar a menor tributação possível.

investimentos_independencia_financeira

É possível alcançar menor tributação através da Previdência Complementar, utilizando a modalidade de tributação regressiva, onde a alíquota de tributação começa maior, partindo de 35% mas é reduzida em 5 pontos percentuais a cada 2 anos, chegando à menor alíquota de 10% em 10 anos. Fazendo isso, teremos a menor tributação e o maior ganho líquido possível.

Outras vantagens ao usar a Previdência Complementar para desenvolver parte do patrimônio são:

– você automatiza o processo através de débito automático (e paga-se em primeiro lugar)

– maior dificuldade para fazer retiradas (força maior controle nos gastos)

– você pode usufruir de um benefício tributário dependendo do tipo de plano que for mais adequado à sua realidade (para saber mais, clique aqui)

Vamos então desenvolver um plano. Vamos juntar tudo isso (idade, renda variável, segurança e tributação) numa estratégia de investimento para o desenvolvimento de patrimônio ao longo do tempo. Calma! Não se assuste, não vai ser tão complicado assim. Está pronta? Então vamos em frente!

1)Começando por volta dos 30 anos (ou antes, quanto mais cedo melhor), você vai depositar todo mês 12% dos seus ganhos mensais no seu plano de previdência complementar, em um fundo que tenha até o máximo de 49% em renda variável.

2) Os outros 8% dos ganhos, você coloca em outros tipos de investimentos mais conservadores e que possam ser usados em casos de emergência, pois são esses recursos que irão formar a sua reserva de segurança.

3) A partir dos 50 anos você faz a alteração, dentro da sua previdência, para um fundo que tenha até o máximo de 30% em renda variável.

4) Por volta dos 60 anos chegará a hora em que você vai decidir o que fazer com esse patrimônio acumulado na sua previdência complementar. Será o momento de começar a colher os frutos da sua merecida independência financeira.

Seguindo essa estratégia você ainda terá outros benefícios “embutidos” cuja explicação precisaria de muito mais tempo e espaço. Ela também pode ser modificada, de acordo com a análise do seu perfil de investidor, para adequar perfeitamente à sua condição específica, mas para isso e outras dúvidas, aconselho você a procurar um planejador financeiro certificado.

 

Oswaldo Sena, CFP é planejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner) concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF). Email: oswaldosena@hotmail.com

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do Finanças Femininas ou do IBCPF. O site e o IBCPF não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Este conteúdo foi útil para você?

IBCPF

IBCPF

Planejamento Financeiro

close