Por onde começo a investir?

Por onde começo a investir?

Você já sabe que quer começar a investir, mas não sabe por onde começar? A primeira coisa que você precisa saber é quanto você ganha e quanto gasta por mês. Fácil falar, não é? Quando você conhece exatamente para onde vai o seu dinheiro todo mês, você consegue montar um orçamento dos seus gastos. Você pode estabelecer metas, tipo um teto de gastos no supermercado, para poder sempre sobrar um pouquinho para você começar a investir. Mas para garantir que você consiga poupar aquele dinheiro todo mês, o segredo é inverter a ordem dos fatores: ao invés de gastar tudo e poupar o que sobra no fim do mês, aplicar aquele seu dinheiro que você quer poupar logo que cai o seu salário na sua conta. Antes de pagar os outros, pague-se primeiro!

A dica é da sócia fundadora da Victoire Brasil Investimentos, Priscila Araújo Simon. “Quando comecei a minha carreira, eu fiz um orçamento e sabia quais eram as minhas despesas e quanto eu iria investir por mês. Quando recebia meu salário, eu aplicava. No dia que eu recebia, eu já aplicava o que eu tinha em mente e tinha que gerenciar aquele orçamento com o dinheiro que restava para o restante do mês”, conta ela. “Se você não faz isso, o dinheiro fica na conta, você sai gastando e fica muito mais difícil se planejar. É importante tentar ter uma disciplina de poupar, estabelecer o quanto da sua renda você vai poupar e gerenciar as despesas do mês dentro do que foi pré-estabelecido”.

Mas e onde colocar estes recursos? Pode parecer difícil escolher onde investir, mas a chave é procurar um aconselhamento, ler jornais e revistas e ver o que faz sentido para você. “As pessoas sempre pensam na poupança, mas hoje o mercado financeiro traz muitas opções interessantes e diferentes, com possibilidade de retorno maior. Tem que olhar as opções e eventualmente procurar uma assessoria. É importante ter a cabeça aberta de que existem outras opções além da poupança que podem trazer bons retornos com um nível de segurança bem interessante”, explica Priscila.

Ok. E daí? Existem fundos de renda fixa, multimercados, opções bacanas como o Tesouro Direto… Você precisa entender as vantagens e os riscos de cada um deles. Veja sempre qual é a taxa de administração da aplicação que você estiver estudando, entenda o nível de risco e saiba qual é a liquidez dela. Dá para você resgatar o dinheiro quando quiser ou precisa esperar alguns dias? Você precisa saber também como funciona a tributação: existem investimentos que são isentos de Imposto de Renda, como planos de previdência e fundos imobiliários, por exemplo.

Quanta coisa! Como deu para ver, opção é o que não falta. Então comece a conversar com as pessoas e busque informações. Quem você conhece que cuida do próprio dinheiro? Seus pais? Seu marido? Alguma amiga? Converse com eles e procure saber onde eles aplicam. Leia os jornais e acompanhe a nossa sessão de investimentos e se ficar alguma dúvida, conte aqui nos comentários!

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close