Por que o dólar subiu e como isso te afeta?

Por que o dólar subiu e como isso te afeta?

Você tem visto no noticiário as histórias sobre a forte alta do dólar? Pois bem, o avanço da moeda norte-americana impacta diretamente o nosso real, que acaba perdendo valor. Esse fenômeno tem derrubado as bolsas de valores, mas também afeta a sua bolsa – e o seu bolso. Para começar, o dólar alto impacta a inflação e provoca aumento no preço dos mais diversos produtos, principalmente os importados. Isso vai desde aquele simples ketchup comprado no supermercado até aquela blusa lindérima na loja. Realmente tudo fica mais caro.

Mas por que o dólar tem subido tanto? Esse movimento se explica pela melhora da economia norte-americana. Isso, por sua vez, fortalece a sua moeda. Se o dólar ganha valor, alguém tem que perder – no nosso caso, o real. No entanto, com a perda de valor do real, os produtos ficam mais caros e a inflação avança. Isso é má notícia para o mercado de ações e os papeis de algumas empresas tendem a se desvalorizar. Isto causa forte retirada de investimentos, causando uma instabilidade – no cenário ruim, todo mundo quer vender.

Neste primeiro semestre, o dólar subiu cerca de 11%, o que o levou para o maior patamar dos últimos 4 anos. Muita gente se beneficia nessa hora (principalmente as exportadoras, que andavam sofrendo com o real forte), mas a grande maioria sai prejudicada. Ainda mais agora que é mês de férias e muitas famílias resolvem viajar.

Continue a ler a matéria na próxima página!

O mercado de capitais também está afetado pela venda de títulos do governo brasileiro – isso porque a melhora da economia dos EUA tem atraído mais investidores para lá. Se eles têm que escolher entre papeis norte-americanos e brasileiros, a primeira opção ficou muito mais atraente nos últimos tempos. Tudo isso contribui para uma turbulência das boas no mercado.

Fique blindada
Não acredite que os únicos prejudicados com o dólar alto são os ricos. Por menos dinheiro que você tenha, também será prejudicada pelo avanço dos preços. Mesmo assim, você tem como se proteger desta queda. Uma forma de não pagar tão caro nos produtos é adiantar a compra deles. Não pode exagerar e sair fazendo estoque a torto e a direito, mas compare os preços praticados agora com os que você estava acostumada antes e veja se não dá para substituir alguns produtos básicos no seu dia a dia.

Outro cuidado a ser tomado é com viagens para o exterior e compra de produtos importados – principalmente no cartão! Se você não tiver alternativa, acompanhe a evolução da cotação do real e do dólar para saber quanto vai ter que desembolsar na hora de pagar. O cuidado com o cartão de crédito é importante nessa hora: se a moeda está subindo muito, com altas todos os dias, fica difícil de saber qual vai ser o valor dela no dia da sua fatura. Você pode acabar se dando mal deixando para pagar tudo depois…

E você, vai mudar os seus planos e hábitos com a alta do dólar?

Desabafa!

Se você tem alguma dúvida sobre sua vida financeira ou uma boa história sobre dinheiro para contar pra gente, mande através do formulário abaixo.

Dúvidas enviadas através desse formulário não serão respondidas individualmente por e-mail.

O conteúdo da sua mensagem poderá ser utilizada em nossas matérias. Caso você prefira não ter o seu nome identificado, é só selecionar a opção "Mensagem Anônima".

personNome

personSobrenome

Mensagem anônimainfoSim

local_post_officeEmail:

commentMensagem: (obrigatório)

Este conteúdo foi útil para você?

carolinaruhman

carolinaruhman

Fundadora e CEO do site, coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva, 2015). É também palestrante sobre finanças para mulheres e empreendedorismo feminino e palestrou no TEDxSP

close